Agricultura familiar mantém produção e sustenta programas sociais

Determinação do Governo do Estado de manter a compra de alimentos para população mais carente, motiva e mantém em alta a produção no campo

Agricultura familiar mantém produção e sustenta programas sociais. São 25 mil famílias produzindo no PR (Foto: AENPr)

Mesmo com a situação criada pela pandemia do coronavírus, o Governo do Paraná determinou que além da manutenção da compra de alimentos da agricultura familiar, o volume será ampliado com aporte extra de R$ 20 milhões.

A notícia animou as associações e cooperativas de produtores, que veem nisso a possibilidade de manutenção dos planos para os negócios. Assim, serão acrescidas três mil famílias de agricultores, totalizando 25 mil produzindo em todo o Paraná. Os alimentos que eram da merenda escolar são entregues nas escolas junto com o Programa Leite das Crianças e kits para famílias vulneráveis.

Como as aulas estão suspensas desde o dia 20 de março, as escolas da rede estadual de Educação do Paraná e servidores de outras secretarias estão mobilizados em uma verdadeira força-tarefa. Tal atividade viabiliza a entrega com alimentos da merenda às famílias dos estudantes inscritos no Bolsa Família.

E ainda também a alunos em situação de vulnerabilidade social, conforme o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

“O Governo do Estado mantém intacta a recepção e a compra dos alimentos da agricultura familiar e, para manter operando aquilo que é essencial à vida, há uma intensificação nessa compra”.

Para a presidente da Cooperativa da Agricultura Familiar de São Jerônimo da Serra (Coafi), Regiane Aparecida Moura, a garantia da continuidade do fornecimento de alimentos significa também uma vida mais digna para os próprios produtores.

Quem mora no sítio e planta tem o que comer, não passa fome, no entanto precisa de dinheiro não apenas para as necessidades do dia a dia, mas para manter o ciclo da produção.

De acordo com Moura, a Coafi tem cerca de 100 sócios. “Esse momento ímpar pegou de surpresa também a nós, mas estamos nos adaptando à realidade de cada dia. Muita coisa a gente consegue superar, até mesmo o coronavírus. Agora a fome não tem coisa pior, pois não tem remédio para passar, é só comida. Independente do coronavírus ou não, a agricultura não para, ela continua, é todo dia, é toda hora, cada instante.”

A presidente da Cooperativa da Agricultura Familiar Matoriquense (Coamar), Lindamir Humeniuk, disse que as 171 famílias sócias estão com os produtos prontos para serem entregues.

“Uma interrupção iria gerar muitos prejuízos. Estamos distante de grandes centros consumidores e os programas sociais são quase os únicos compradores.”

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

DIRETO DO CAMPO

Site 'Compre do Produtor' amplia as entregas em Guarapuava

AGROPECUÁRIA

Após a estiagem, chuva dá 'fôlego' à agropecuária na Região

AGRONEGÓCIO

Paraná ‘dribla’ o coronavírus pelo status livre de aftosa

Comentários