Agronegócio representa 80,3% das exportações do Paraná

Somando cerca de US$ 4,12 bilhões do agronegócio, os produtos que mais participaram foram do do Complexo Soja, as carnes e os produtos florestais

Agronegócio representa 80,3% das exportações do Paraná (Foto: FAEP)

Da receita gerada pelas exportações do Paraná no primeiro quadrimestre deste ano, 80,3% têm origem no agronegócio do Estado. Somando cerca de US$ 4,12 bilhões, os produtos que mais participaram deste montante foram do Complexo Soja, as carnes e os produtos florestais. Os dados são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Conforme o estudo, de março a abril, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 31,40 bilhões. Uma alta de 5,9% em relação ao mesmo período no ano anterior. Assim, o Paraná é terceiro estado mais expressivo neste valor, sendo responsável por 13,14% deste total. Perde apenas do Mato Grosso (18,33%) e São Paulo (15,38%).

(Foto: Confederação da Agricultura e Pecuária)

De acordo com o ministério, a receita gerada pela agricultura e pecuária paranaense no período supera em US$ 160 milhões a das exportações dos produtos de janeiro a abril de 2019. Somente a soja representa quase metade (46,7%) das exportações do Agro paranaense. O setor alcançou receita de quase US$ 1,93 bilhão.

Segundo o levantamento, as carnes participam com 23,57%, tendo gerado US$ 972,7 milhões. Já os produtos florestais, que representam 16,53% do total exportado pelos produtos agropecuários, resultaram em receita de cerca de US$ 682,2 milhões.

Na sequência das exportações, ainda somam-se o complexo sucroalcooleiro, café, cereais (farinhas e preparações), entre outros. Juntos, contabilizam US$ 543 milhões em receita.

ALINHAMENTO

Norberto Ortigara, secretário de Estado da Agricultura (Foto: Seab)

O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, avalia que o comportamento das exportações paranaenses está alinhado com o agronegócio no restante do Brasil.

No cenário nacional, também houve crescimento expressivo nos embarques do Complexo Soja, que gerou aproximadamente US$ 11 bilhões em receita apenas com o grão de soja e, por outro lado, uma redução nos embarques de milho. Segundo o secretário, a variação é natural.

No ano passado, a exportação de milho foi recorde, e nós já sabíamos que o resultado não se repetiria nesse ano, até por restrição de oferta.

No Complexo Carne, tanto o desempenho brasileiro como o paranaense foram bastante satisfatórios no primeiro quadrimestre. “O Brasil está embarcando especialmente para a China, país que passou por dificuldades sanitárias com a peste suína africana e está importando carne para garantir o consumo”.

De acordo com Ortigara, no cenário estadual, o desempenho do açúcar, que cresceu 103% em volume e 96% em valor nos primeiros meses do ano.

Provavelmente, o agronegócio será o único setor a registrar crescimento neste ano no Brasil.

Conforme o secretário, a perspectiva é de um bom ano para o mercado externo, particularmente impulsionado pelas carnes, Complexo Soja e açúcar liderando esse esforço.

SOJA EM GRÃO

(Foto: Jonas Oliveira)

Segundo o levantamento do ministério, o Paraná exportou, de janeiro a abril de 2020, aproximadamente 4,4 milhões de toneladas de soja em grão. De acordo com o levantamento, esse volume é 39% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

Nesse período haviam sido exportados aproximadamente 3,1 milhões de toneladas. Em volume financeiro, o crescimento foi de 33%. Em 2019 o valor obtido com as exportações de soja em grão, de janeiro a abril, contabilizaram cerca de US$ 1,13 bilhão.

Conforme o economista do Departamento de Economia Rural (Deral), Marcelo Garrido, nos primeiros quatro meses de 2020 o valor obtido foi de US$ 1,50 bilhão. “As justificativas para esse aumento são a alta do dólar frente ao real e a maior demanda por parte dos importadores da soja brasileira”.

DESTINOS

Mais de 40% de tudo o que o Paraná exportou, da produção agropecuária, teve como destino a China. As vendas para o país asiático, totalizaram em torno de US$ 1,67 bilhão. Conforme o levantamento, países do bloco da União Europeia são o segundo principal destino das exportações do Agronegócio do Estado. Esses representam quase 13,6%, comprando US$ 560,7 milhões.

De acordo com os dados do Ministério da Economia, de janeiro a abril o Brasil exportou 203,9 milhões de toneladas de cargas. Assim a receita gerada pelo País com as exportações foi de US$ 67,3 bilhões. Considerando a origem dos produtos exportados, o Paraná é o sexto, entre os estados brasileiros.

SALDO POSITIVO

A balança comercial do Paraná fecha o quadrimestre com saldo positivo de quase US$ 1,5 bilhão. A corrente de comércio do Estado, nos primeiros quatro meses do ano, passa dos US$ 8,7 bilhões. De janeiro a abril deste ano, o Estado exportou quase 8,8 milhões de toneladas de produtos, alcançando receita de US$ 5,14 bilhões.

Já as importações do Estado totalizaram um volume de pouco mais de 4,9 milhões de toneladas, contabilizando cerca de US$ 3,6 bilhões.

75% DAS EXPORTAÇÕES SAEM DO PORTO DE PARANAGUÁ

(Foto: Divulgação/Porto de Paranaguá)

Das 8,8 milhões de toneladas exportadas pelo Paraná no primeiro quadrimestre do ano, 6,6 milhões, ou seja, 75% saíram pelos Portos do Paraná. A soja, em grão e farelo, teve a maior participação nesse montante.
Para o diretor-presidente da empresa Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, a logística do Paraná vem se mostrando extremamente eficiente e integrada, do campo ao porto.

Isso porque o Governo do Estado vem dando condição para que se tenha um movimento ordenado. Isso faz com que os nossos produtores escolham, principalmente, exportar pelos portos paranaenses.

Ele destaca que a Ferroeste bateu recorde, puxando a produção do Oeste do Estado. Conforme Garcia, as rodovias, com as revisões e manutenções, vêm dando suporte ao movimento de caminhões. Esse setor também bateu recorde, além dos portos, que fizeram em abril a melhor movimentação mensal da história.

Estamos atendendo um volume muito grande de cargas, principalmente a soja. O que estamos vendo é uma logística muito coordenada desde a chegada dos caminhões e vagões do Interior até a produtividade que vimos alcançando nos carregamentos dos navios.

Segundo os dados do Ministério da Economia (ComexStat), foram cerca de 4,2 milhões de toneladas de soja paranaense exportadas pelo Porto de Paranaguá. A receita gerada por essas exportações chegou a de pouco mais de US$ 1,1 bilhão.

Na sequência, respectivamente, o açúcar, o frango, a celulose e o milho também engrossam o volume das exportações do Estado, nos terminais paranaenses.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

AGRONEGÓCIO

Paraná ‘dribla’ o coronavírus pelo status livre de aftosa

PROJETO DE EXTENSÃO

Feira Agroecológica da Unicentro completa 11 anos em Guarapuava

AGRICULTURA FAMILIAR

Produtores podem apresentar propostas para o Trator Solidário

Comentários