Após depoimento de testemunhas, interrogatório do réu tem data marcada

Nesta quinta (21), seis pessoas falaram à Justiça no Fórum de Guarapuava

*Reportagem atualizada às 23h28 do dia 21 de março para retificação de informações.

A audiência de instrução da 1ª Vara Criminal ocorrida na tarde desta quinta feira (21) ouviu seis testemunhas do processo que investiga a morte do jovem turvense Saulo Filipim Prestes, de 21 anos, ocorrida no dia 23 de julho de 2016, no Centro da cidade. O réu no processo, policial militar Toni Silvério Muniz Júnior, acusado pelo Ministério Público (MP) pelo crime de homicídio doloso (quando há a intenção de matar) acompanhou os depoimentos.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Das 16 testemunhas previstas para falarem, apenas seis prestaram depoimento, entre elas o pai e a mãe da vítima Saulo. De acordo com os advogados, tanto de acusação, quanto de defesa, algumas testemunhas foram dispensadas e outras devem falar em audiência por carta precatória, procedimento feito quando a testemunha chamada para depor pertence a outra Comarca, que não a de origem do processo, ou seja, fora de Guarapuava.

Em virtude da ausência desses depoimentos, o interrogatório do acusado não ocorreu hoje. A nova data prevista para que Toni Silvério Muniz Júnior fale à Justiça sobre o caso é 3 de julho de 2019, às 14h, na 1ª Vara Criminal do Fórum da Comarca de Guarapuava.

Neste processo, o advogado criminalista Marinaldo Rattes atua como auxiliar de acusação, a serviço da família de Saulo. Já Eduardo Miléo é responsável pela defesa do réu Toni Silvério.

Relacionadas

PANDEMIA

Leitos destinados a pacientes com covid-19 estão parcialmente ocupados

FISCALIZAÇÃO

SOE faz operação 'bate grade' na Cadeia de Laranjeiras do Sul

FERIMENTOS GRAVES

Homem é esfaqueado e fica gravemente ferido em Pitanga

Comentários