Auditoria do TCE acompanha obras paralisadas em Irati

Trabalho se estende até a próxima sexta (12) e integra o Plano Anual de Fiscalização de 2019

(Foto: Secom/Prefeitura de Irati)

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná iniciou nesta segunda (8), uma auditoria para conferir a situação das obras paralisadas no município de Irati. É a primeira de uma série de auditorias em obras municipais que serão feitas ao longo do ano, como parte do Plano Anual de Fiscalização de 2019 do TCE-PR.

“O objetivo principal é fazer com que as obras sejam concluídas e tragam benefícios efetivos à população”, afirma o coordenador de Obras Públicas do Tribunal, o engenheiro civil Luiz Cesar Linhares Masetti.

A inclusão de Irati no rol das fiscalizações se deve ao fato de que informações declaradas pela própria prefeitura ao Sistema de Informações Municipais – Acompanhamento Mensal do TCE-PR apontam a suposta existência de 34 obras paralisadas em Irati. O município é um dos que vêm recebendo advertências do Tribunal para que retome as obras e atualize seu cadastro junto ao SIM-AM.

A auditoria será executada até a próxima sexta (12), por dois engenheiros civis da Coordenadoria de Obras Públicas (COP) do TCE-PR. Antes de inspecionar as obras, os analistas de controle que executam a auditoria, juntamente com o coordenador da COP, se reuniram, nesta segunda pela manhã, com o prefeito Jorge Derbli, o controlador interno, contadores e engenheiros civis da Prefeitura de Irati.

Além de conferir, in loco, a situação real de cada obra indicada como paralisada pela própria administração municipal, os servidores da corte de contas analisarão projetos, contratos, planilhas orçamentárias e outros documentos. A fiscalização presencial foi precedida de um trabalho de planejamento, envolvendo levantamento de informações, estudos e elaboração de formulários de auditoria.

As auditorias do TCE-PR em obras municipais paralisadas priorizam as construções voltadas a atender duas áreas essenciais do serviço público: educação (escolas e creches) e saúde (unidades básicas, centro de atendimento especializados e hospitais).

“Com essas auditorias, pretendemos estimular a cultura do planejamento e a boa gestão das obras públicas, para concluir as que estão paralisadas e evitar o início de novas edificações que também poderiam ficar inconclusas”, destaca o coordenador-geral de Fiscalização, Rafael Ayres.

PAF 2019

Ao longo deste ano, o TCE-PR fará auditorias in loco em pelo menos 96 municípios paranaenses – distintos dos 303 visitados por servidores do órgão de controle entre 2016 e 2018. Assim, em quatro anos, todos os 399 municípios do Estado terão sido auditados presencialmente ao menos uma vez pelo Tribunal, aproximando a corte de contas do cidadão, financiador e usuário dos serviços públicos fiscalizados.

Além das obras paralisadas, estão sendo auditadas no PAF 2019 as áreas da educação básica, saúde, gestão de resíduos sólidos, transporte coletivo urbano, habitação, serviços de pavimentação urbana, receita pública e controles internos municipais.

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

FAMÍLIAS VULNERÁVEIS

Energisa e Unesco distribuem 420 cestas básicas em Guarapuava

AINDA DÁ TEMPO

Mega-Sena sorteia prêmio acumulado de R$ 38 milhões neste sábado (24)

Comentários