Esta quinta feira (13) será de depoimentos para o casal Beto e Fernanda Richa, preso na Operação Radio Patrulha, que investiga pagamentos ilícitos feitos por empresários vencedores de licitações  fraudadas para alugar máquinas e equipamentos para o programa estadual Patrulha do Campo. Os dois irão depor aos promotores do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Os depoimentos seguirão até esta sexta (14). Os promotores querem esclarecimentos de ambos sobre o possível envolvimento do casal em negócios públicos que teriam gerado propinas para a família, segundo delação do empresário Toni Garcia.

De acordo com o Gaeco, o esquema envolve no mínimo 13 participantes. Outros agentes públicos e empresários também estão presos no Complexo Médico Penal de Pinhais. Beto e Fernanda, porém, foram transferidos para o Regimento Coronel Dulcídio, da Polícia Militar, no Tarumã. Eles estão em salas separadas, mas almoçam juntos.

Habeas Corpus para ambos já foi negado. As prisões temporárias terminam neste sábado (15).