Cidade experimenta nova forma de gestão

Guarapuava – “Ele está sendo tudo de bom. Nunca tínhamos entrado no gabinete do prefeito e ele nos recebeu de igual para igual”. A afirmação feita pela quilombola Ana Maria Alves da Cruz Oliveira traduz a nova impressão que grande parte de Guarapuava está tendo do prefeito em exercício Jorge Luiz Massaro nestes pouco mais de 30 dias em que está comandando o município.
Com as portas abertas do gabinete no segundo piso do prédio da Prefeitura, Massaro se reúne com o secretariado, recebe informações sobre a situação administrativa, e o que é o principal, conversa com a comunidade que o procura. “Temos conversando com as pessoas e percebemos que têm uma ânsia muito grande em ser ouvidas e atendidas em suas reivindicações. e este é o papel do administrador público”, disse ele ao bloco parlamentar de oposição na manhã da última terça-feira no gabinete da presidência.
Na ocasião, confessou que é defensor do Orçamento Participativo como forma de suprir as demandas populares. “Se um administrador público não ouve a comunidade, como vai poder governar?”, questionou, lamentando não ter tempo hábil para cumprir esse desejo. Massaro tem um prazo curto como prefeito interino já que a licença de 60 dias concedida pela Câmara ao titular Fernando Ribas Carli está se esgotando, salvo solicite ampliação desse prazo.
Para compensar a falta de diálogo entre a administração municipal e a população, Massaro propôs a elaboração de uma agenda de visitas na cidade e no interior sempre acompanhado por vereadores, independente de alas partidárias. “O bem comum de Guarapuava está acima de qualquer cor partidária”, pregou. A disposição do prefeito em exercício em se aproximar e administrar junto com a Câmara foi bem recebida pela bancada oposicionista. A agenda já está sendo elaborada, contemplando bairros e localidades interioranas de Guarapuava.
Caminhando na contramão do jeito fechado de administrar que vem sendo imposto por Carli, Massaro dá mais uma demonstração dessa diferença, apesar de pertencer ao grupo “carlista”.
Pela segunda vez consecutiva no período em que está à frente do Município vai até a Câmara pedir o apoio dos vereadores. Mais ouve do que fala, e age. “Os secretários municipais têm que atender a Câmara, independente da posição política dos vereadores, e vou dizer isso a eles”, garantiu à oposição. Também promete colocar um ponto final nas retaliações políticas que atingem servidores assalariados, na maioria por questões político-partidárias. A repercussão entre o G8 foi positiva.
Com uma formação religiosa, solidária, o prefeito em exercício se compadece com os problemas que atingem as pessoas de menor poder aquisitivo, e libera obras que minimizam problemas, como as precárias condições das estradas interioranas, há muito sem manutenção. Percebe-se que tenta recuperar o que deveria já ter sido feito, mas o tempo é muito curto.
A representatividade do Município em solenidades oficiais também ganha espaço. Massaro se faz presente. Chega sempre sozinho e dá conta do recado. Na inauguração da 5ª Delegacia Regional da Receita Estadual na fria tarde de quinta-feira, dia 4, sentiu-se à vontade ao lado do governador Roberto Requião. No pronunciamento, reconheceu que a contrapartida do Município frente ao investimento de R$ 2 milhões da obra estadual foi pequena, apenas a pavimentação asfáltica da quadra em frente à nova sede, cuja liberação junto a Prefeitura foi graças à sua intervenção. O discurso sereno arrancou elogios do exigente governador.

Relacionadas

DESTAQUE

Aliel Machado recebe indicação para 'Prêmio Congresso em Foco'

AGORA FOI

Bolsonaro anuncia Milton Ribeiro como novo ministro da Educação

DESENVOLVIMENTO

Novo contorno rodoviário consolida Pato Branco como polo do Sudoeste

Comentários