Criminalista diz que suspeito se entregou para ‘provar inocência’

Suspeito disse que dormiu com a adolescente e quando acordou ela estava morta. Outro casal estava junto, mas em outro quatro

Criminalista diz que suspeito se entregou para ‘provar inocência’ (Foto: Divulgação)

O feminicídio da adolescente de 13 anos, em 7 de março de 2020, em Guarapuava, tem dois homens suspeitos presos. Um deles, um autônomo que tinha um quiosque de espetinhos na Praça Cleve até pouco dias, se entregou à polícia.

Foi na tarde dessa quinta (23), segundo informou o advogado Raphael Virmond ao Portal RSN, nessa sexta (24). “Meu cliente estava em outro estado, mas quando soube do mandado de prisão voltou a Guarapuava e se entregou. Eu o levei à delegacia de polícia. Portanto, ele não foi capturado pela polícia”.

De acordo com o advogado, o suspeito está sendo acusado por terceiros de ter sido o autor do crime. Entretanto, ele nega essa autoria e diz que voltou para elucidar a morte da jovem e provar que é inocente.

Conforme o criminalista, o autônomo disse que não tinha nenhum relacionamento com as outras pessoas envolvidas no caso. “Ele contou que um dia antes da menina morrer, ele tinha ido a um bar no Jardim das Américas junto com um amigo. Lá conheceu o outro homem que está preso e duas meninas”.

Porém, no dia seguinte recebeu uma ligação telefônica pedindo para que desse uma carona para as adolescentes e o outro suspeito até um churrasco. Após terem ido ao lugar combinado, decidiram ir até a sua casa, no Alto da XV. “Meu cliente disse que desconhecia o fato das duas meninas serem menores de 18 anos anos. Elas estavam trabalhando num bar, bebendo e já tinha o corpo bem desenvolvido”.

CHURRASCO TERMINOU EM CASA

Todavia, já na casa, os quatro continuaram ingerindo bebida alcoólica. “Meu cliente disse que foi para o quarto conversar por telefone com um amiga, pois estavam combinando de ir à Muv [danceteria da cidade]”. De acordo com Raphael Virmond, cerca de 40 minutos depois, a vítima entrou no seu quarto, enquanto o outro casal foi para outro. Porém, no dia seguinte, quando ele acordou a adolescente estava morta. “Meu cliente disse que iria chamar a polícia, mas foi impedido pelos demais. Então, levaram o corpo e deixaram numa estrada rural em Candói”.

Assim, quem o acusa de ser  o autor da morte da jovem é a outra adolescente que estava junto. “Nós vamos esperar a perícia apontar a causa da morte. Mas ele [autônomo] não viria de outro estado para se entregar à polícia se não fosse inocente”. Conforme Raphael Virmond, o suspeito fugiu para outro estado porque estava sendo vítima de extorsão. “Pegaram carro, aparelho de TV e outros objetos da casa dele. Ele fugiu para se ver livre”.

O autônomo vai prestar depoimento oficial à polícia na próxima semana. O outro suspeito, preso há mais de 20 dias, já depôs. Assim como ele, a outra adolescente e a dona do bar, tida como agenciadora de ‘garotas de programa’. Porém, segundo o advogado, há desconfiança de que o depoimento tenha informações falsas. Ela está sendo procurada pela polícia.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

HOSPITAL REGIONAL

Governador inaugura 1ª fase do HR de Guarapuava

DO INÍCIO AO FIM

Itacir: "Projetos implantados dão segurança para quem produz no campo"

EM GUARAPUAVA

Vigilância Sanitária fecha três estabelecimentos por irregularidades

Comentários