Deputados reconhecem solidariedade do MST no Paraná

Comunidades do MST do Paraná doaram mais de 84 toneladas de alimentos a municípios do Paraná desde o início da pandemia do novo coronavírus

Deputados reconhecem solidariedade do MST (Foto: Marilene Hammel)

A solidariedade das famílias de acampados e assentados no Paraná foi reconhecida pela Assembleia Legislativa do Paraná. Assim, o MST será agraciado nesta terça (28) com Voto de Louvor e Congratulações pela doação demais de 84 mil quilos de alimentos a municípios paranaenses. Ao todo, 19 acampamentos e 28 assentamentos participaram das ações de solidariedade.

A entrega virtual da homenagem terá a participação do autor da proposta, deputado estadual Tadeu Veneri (PT); de Natália Bonavides, deputada federal pelo Rio Grande do Norte; e Roberto Baggio, integrante da direção nacional do MST pelo Paraná.

De acordo com Veneri, a generosidade e a humildade merecem ser valorizados nestes tempos difíceis.

Os trabalhadores sem terra, em seus atos de solidariedade e em sua fartura na produção de alimentos, demonstram que há esperança para a construção de um modo de vida mais lúcido, em uma sociedade justa e sem exploração.

Conforme Roberto Baggio, o período de grande dificuldade para milhões de brasileiros exige solidariedade e partilha com as pessoas mais vulneráveis, desassistidas pelo Estado, seja em âmbito municipal, estadual ou nacional.

“Essa atitude das famílias da reforma agrária, é muito bonita, muito louvável, porque mostra que são pessoas dignas. E por isso estão preocupados com os outros, pois não tem diferença entre nós, trabalhadores do campo e da cidade. Esse alimento repartido é fruto de muita luta”.

O voto de louvor foi aprovado por unanimidade no dia 14 de abril, durante sessão virtual. O reconhecimento da Assembleia Legislativa destoa da onda de despejos realizados pelo governo do estado ao longo de 2019, quando nove comunidades do MST foram destruídas. Mais de 500 famílias ficaram sem moradia e terra para trabalhar e viver.

Conforme Baggio, passando essa crise é preciso que a paz chegue ao campo.

Precisamos de paz para as nossas áreas e nossas famílias. Chega de ameaças e de despejos. Chega da polícia cercando as áreas […]. Precisamos de paz pra seguir produzindo alimento.

Cerca de sete mil famílias vivem em acampamentos do MST no Paraná, comunidades consolidadas, com 4, 10, 20 ou mais anos de trabalho e organização em cima da terra. O estado tem outras 24 mil famílias assentadas e 21 cooperativas da reforma agrária.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

COVID-19

Procuradora do Trabalho recomenda paralisar obras de PCH

COVID-19

Paraná acumula 4.236 pacientes e 173 mortes pela covid-19

FAZER O BEM

Comunidades indígenas do PR e SC recebem cestas de alimentos

Comentários