Em uma semana sete macacos morrem por febre amarela no PR

Apesar da incidência de animais mortos, a Saúde relembra que os macacos não transmitem a doença para humanos. Por isso, os macacos não devem ser mortos

Macaco foi encontrado morto recentemente em Prudentópolis (Foto: Reprodução/Nossa Gente)

A Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa) confirmou sete mortes de macacos no período de uma semana em todo o Estado. Assim, o novo boletim divulgado pela secretaria, confirmou a soma de 40 mortes de macacos por febre amarela no último período epidemiológico. Tal período compreende de 1 de julho de 2019 até 21 de janeiro de 2020.

Assim, o boletim informa que são 267 casos registrados até o momento. Os registros foram feitos em 73 municípios. Outros 104 estão em investigação. No período epidemiológico anterior, julho de 2018 e junho de 2019, foram confirmados 17 casos da doença e um óbito.

De acordo com o boletim, na 5ª Regional de Saúde, cuja sede é em Guarapuava, oito casos estão em investigação. Tais ocorrências são em Campina do Simão (1), Pitanga (2), Prudentópolis (1), Rio Bonito do Iguaçu (1) e Turvo (2). Em Prudentópolis, uma morte foi confirmada e outro caso é tido como indeterminado.

MORTES

Os registros das mortes dos animais pela doença ocorreram em 18 municípios de sete regionais de saúde. As novas confirmações foram em: Quatro Barras (1), Rio Negro (1), Mallet (1), Antônio Olinto (1) São Mateus do sul (1) e Cândido de Abreu (2). Os municípios de Balsa Nova (1), Mandirituba (1), Castro (11), Ipiranga (2), Palmeira (1), Piraí do Sul (2), Ponta Grossa (8), São João do Triunfo (1), Imbituva (1), Teixeira Soares (2), Prudentópolis (1) e Sapopema (2) já tinham casos confirmados.

O boletim não registra casos de febre amarela em humanos. O Paraná segue em alerta com 15 casos em investigação. A Secretaria de Estado da Saúde vem fazendo um trabalho efetivo e intensificado de bloqueio sanitário. Além disso, destaca que a população não mate os macacos, pois eles não são transmissores da doença.

VACINAÇÃO

A única forma de evitar a doença é através da vacina. Em Guarapuava a imunização está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para a faixa etária entre nove meses e 59 anos, com exceção da unidade do Feroz.

De acordo com o boletim, dezembro de 2019, 77,95% das crianças com menos de um ano de idade já tinham sido imunizadas nos municípios que pertencem à Regional de Guarapuava.

Para se imunizar é necessário apresentar a carteira de vacinação, cartão do SUS e um documento com foto. As unidades de Pronto Atendimento do Batel, Primavera, e Trianon não fornecem a vacina.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

Relacionadas

CARNAVAL + SOL

Carnaval deve ser de altas temperaturas em Guarapuava

PESCA LIBERADA

Liberadas as pescas amadora e profissional de espécies nativas no PR

EDITAL DE CITAÇÃO

Judiciário divulga edital citando réus em caso de acidente

Comentários