Está em vigor em Guarapuava ‘toque de recolher’ estadual

O decreto estadual 6.284/2020 estabelece limitação de horário para circulação de pessoas no período noturno

Está em vigor em Guarapuava ‘toque de recolher’ estadual (Imagem: Reprodução/Pixabay)

Os números de infectados pela covid-19 seguem aumentando no Paraná. Pensando em conter a disseminação do vírus, o Governo do Estado divulgou um novo decreto para ajudar a conter os números. O decreto 6.284/2020, assinado nesta semana pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, estabelece limitação de horário para circulação de pessoas no período noturno, ou seja, o popular ‘toque de recolher’. O prazo de vigência é de 15 dias, prorrogáveis ou não. De acordo com a administração de Guarapuava, a medida está em vigor na cidade.

Conforme a nova medida, as pessoas não devem sair de casa entre às 23h e às 5h. A medida entrou em vigor a partir da quarta (2). Apenas serviços essenciais, como saúde e segurança pública, ficam liberados da restrição. A Polícia Militar do Paraná vai ampliar a fiscalização, reforçando o trabalho das guardas municipais. Conforme o texto:

A Secretaria de Estado de Segurança Pública deverá, durante o período indicado, intensificar operações de fiscalização e orientação, a fim de coibir aglomerações, principalmente aquelas com consumo de bebidas alcoólicas, especialmente entre as 23h e 5h.

Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto explicou que a resolução busca conter a movimentação de pessoas durante o período noturno, especialmente dos mais jovens. A iniciativa, reforçou ele, é para evitar aglomerações em parques, bares, festas, casas noturnas e estabelecimentos do gênero. “A situação é muito grave. Precisamos deste toque de recolher para quebrar a velocidade de transmissão do vírus. E conscientizar as pessoas para que fiquem em casa. Quem pode, precisa respeitar o isolamento e o distanciamento social”.

É a medida para que possamos ter um Natal mais calmo. Neste momento o ritmo abertura de leitos no Estado, seja de UTI ou de enfermaria, não consegue mais acompanhar a velocidade dos casos.

Beto Preto lembrou que houve um aumento de 23,9% na média móvel de casos e de 6,2% na média de óbitos nos últimos 14 dias no Paraná. Atualmente, de acordo com a Secretaria da Saúde, a equação aponta para 2.635 novas contaminações por dia e 24 mortes em decorrência do coronavírus.

Por fim, o novo decreto informa que “a expansão de leitos de UTI exclusivos para covid-19 já se encontra no último estágio, havendo falta de recursos humanos, insumos e equipamentos no atual panorama”.

De acordo com a Secretaria de Comunicação de Guarapuava, a Polícia Militar segue fiscalizando o cumprimento das determinações. Além disso, há possibilidade de que a medida seja adaptada, mas ainda não foi divulgado quais pontos poderão sofrer alteração, já que, inicialmente, vale por 15 dias.

COVID-19 EM GUARAPUAVA

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou na quarta (2) mais duas mortes por covid-19, chegando a 35 vítimas que perderam a vida em Guarapuava. Trata-se de uma idosa de 64 anos que foi internada dia 17 de novembro e morreu hoje. E, um idoso de 62 anos que morreu na terça (1). Os dois estavam internados no Hospital Regional.

NOVO BOLETIM

Também na quarta (2), a Saúde de Guarapuava positivou o maior número de casos até agora. De acordo com o boletim, 124 pessoas tiveram os exames positivos, ultrapassando os 3 mil casos da doença e alcançando 3.079. Além disso, 743 destes casos estão ativos. Ou seja, tem maior chance de contaminação.

A Saúde também registrou 2.301 pacientes recuperados. Já os casos investigados correspondem a 473 no município. Mas, a Saúde já descartou 5.203 casos. Portanto, o recorde no dia 21 de novembro, quando 123 pacientes tiveram resultado positivo acabou sendo ultrapassado nesta quarta.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

BOLETIM COVID

HSV confirma 90% de ocupação de leitos de UTI privados da covid-19

ENSINO SUPERIOR

Vestibular da Unicentro segue com inscrições abertas até 4 de fevereiro

IMUNIZAÇÃO

5ª Regional receberá 79.200 unidades de insumos da vacina contra covid-19

Comentários