Expogua pode estar com os dias contados em Guarapuava

Proposta da nova diretoria da Sociedade Rural é transformá-la num grande encontro técnico com foco no produtor

Claudio Azevedo, presidente da Sociedade Rural de Guarapuava (Foto: RSN)

A Exposição-Feira Agropecuária e Industrial de Guarapuava, a Expogua, criada há 43 anos, pode passar por uma grande transformação, que deve começar pela troca do nome, mudança de data e, principalmente, de conceito. Essa possibilidade está sendo uma das principais discussões da nova diretoria da Sociedade Rural de Guarapuava, promotora da Exposição, e que agora está sendo presidida pelo empresário rural Claudio Marques Azevedo.

Todas essas mudanças estão previstas já para este ano. De acordo com Claudio Azevedo, a feira que passará a ser um grande encontro técnico voltado para a pecuária e para a agricultura, com foco no produtor, passará a ser no primeiro fim de semana de outubro. “As datas já foram mudadas duas vezes, mas Guarapuava é um município de inverno rigoroso e com chuva. Em outubro o clima já está mais ameno”.

Se em anos anteriores, a mudança obedecia calendário estadual de exposições-feiras no Estado, essa não é mais a preocupação dos diretores da Sociedade Rural. “Queremos que o nosso produtor, que os agropecuaristas da região participem. Queremos também a participação do Núcleo do Cavalo Crioulo que em agosto prefere ir a Esteio”.

Reduzir os dias de atividades no Parque de Exposições Lacerda Werneck, que até então era de duas semanas, para um fim de semana, também faz parte da nova proposta.

Queremos palestras técnicas com nomes renomados para a pecuária, para agricultura, desde os pequenos até os grandes produtores.

Para isso, há estudos de transformar o espaço onde hoje é o Pavilhão do Comércio em salas modulares para as palestras. Já o comércio ficaria na parte externa do Parque dividindo a área com a exposição de máquinas e implementos agrícolas.

“Por enquanto, estamos discutindo esse novo formato e ainda não conversamos com a Acig [Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava]”, disse Azevedo. A modernização desse novo conceito proposto pela Sociedade Rural prevê também um novo local para as barracas de entidades sociais, “com mais conforto para o público e para quem trabalha voluntariamente nas barracas”.

Já os comerciantes que vem de fora deverão abrir espaço para o empreendedor de Guarapuava. “Queremos prestigiar quem é de Guarapuava para que o dinheiro circule no nosso município, gerando emprego e renda”. Em relação aos shows esses deixam de ser promovidos.

O nosso foco será na tecnologia, nos leilões, em trazer multinacionais do setor agrícola, palestrantes tops e, principalmente no produtor.

Segundo Claudio Azevedo, no setor agropecuário, Guarapuava possui as cadeias mais evoluídas como a bacia leiteira, “muito importante” para a manutenção das propriedades, principalmente, as pequenas. “Queremos trazer os criadores de Angus, Canchim, Nelore”. Segundo Claudio Azevedo, os leilões de gados serão valorizados. “Teremos o remate de gado Angus, com reprodutores e matrizes, além de leilões de gado geral”.

O público também será valorizado com o valor de ingresso popular para entrar no Parque. “Também estamos pensando num ingresso único para a família”.  O parque de diversões deverá ser mantido, mas num local melhor dentro do Lacerda Werneck.

De acordo com o presidente da Sociedade Rural, tudo isso está sendo debatido e formatado, mas tudo leva a crer que a Expogua está com os dias contados.

Relacionadas

BRUCELOSE E TUBERCULOSE

Adapar indica que 25 animais estão doentes em Guarapuava e PG

MELHORIAS NO CAMPO

Pavimentação em estradas rurais facilita a vida no interior de Goioxim

AGRICULTURA REGULARIZADA

Consórcio auxilia agricultores familiares em Guarapuava e Região

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com