Exportações caem quase 30% nos cinco primeiro meses do ano

Fiep aponta manutenção da queda das vendas para o exterior. Prejuízo para o exportador só não foi maior devido à depreciação do real em relação ao dólar

A indústria paranaense voltou a registrar queda nas exportações em maio, informou nesta segunda-feira (29) o Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em seu relatório mensal sobre o comércio exterior do Estado. As vendas para o exterior diminuíram 27,29% nos cinco primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período de 2008. Em relação a maio de 2008, a baixa foi de 40,36%, e a abril, a queda foi de 0,52%.
O prejuízo para o exportador paranaense só não foi maior devido à depreciação do real em relação ao dólar no período. Assim, em real, considerando o câmbio médio divulgado pelo Banco Central, a diminuição da receita caiu para 6,26% entre janeiro e maio de 2009. “Diferentemente do tempo em que a paridade das moedas apresentava o real fortemente apreciado, os efeitos da contração do comércio internacional incidem também em dimensões distintas”, afirma o coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Maurílio Schmitt.
Na média dos últimos 12 meses (junho de 2008 a maio de 2009), esta é a quinta queda consecutiva das exportações, registrando o montante de US$ 1,127 bilhão. No mês, as vendas para o exterior somaram US$ 1,115 bilhão. Nos cinco primeiros meses do ano, o valor acumula US$ 4,436 bilhões.
Em termos de grupos de produtos, o Complexo Soja continua na liderança da pauta de exportações paranaenses, ocupando 34,11% das vendas da indústria do Estado, embora tenha registrado uma redução de 20,22% nos cinco primeiros meses de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida aparecem Carnes (14,10% de participação) e Material de Transportes (12,19% de participação).
Considerando os quatro principais tradicionais grupos de produtos exportados pelo Paraná (Soja, Material de Transportes, Carnes e Madeira), que somam uma participação de mais de 65% das exportações totais, apenas Soja apresenta leves sinais de recuperação. Material de Transportes e Madeira demonstram tendências de queda, enquanto o grupo de Carnes apenas sinaliza inversão na tendência. Dentre os 15 principais grupos de produtos exportados, somente um apresenta aumento em relação aos primeiros cinco meses de 2008: Açúcares e Produtos de Confeitaria (aumento de 74,20%) que passou a ocupar o quarto lugar na pauta de exportações, com 5,24% de participação.
Importações – As importações realizadas pela indústria paranaense também registraram queda nos cinco primeiros meses do ano. Na comparação com o mesmo período de 2008, as compras do exterior diminuíram 40,81%, atingindo a soma de US$ 3,088 bilhões, ou R$ 6,905 bilhões. Em relação a maio de 2008, as importações diminuíram 63,12%. Comparando-se com abril, entretanto, as importações de maio apresentaram alta de 12,54%, somando US$ 678 milhões. Com isso, o saldo registrado pela balança comercial paranaense foi superavitário em US$ 3,758 bilhões.
Em real, os importadores estão gastando menos: houve uma queda de 22,39% na receita de importações no comparativo entre janeiro a maio de 2009 em relação ao ano anterior. O principal grupo de produto responsável pela baixa é o de Produtos Químicos (adubos, fertilizantes e outros destinados à agricultura), que reduziu suas importações em 53,47% nos cinco primeiros meses de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado.
A China recuperou a posição de principal parceiro comercial do Paraná, registrando US$ 938 milhões em intercâmbio comercial (exportações mais importações) de janeiro a maio deste ano. Em segundo lugar aparece a Argentina (intercâmbio de US$ 691 milhões) e, em terceiro, a Alemanha (US$ 620 milhões).
Foto de: Rogério Theodorovy

Relacionadas

MAIS AMOR

Bebês da UTI neonatal do Instituto Virmond ganham sessão de fotos

COVID-19

Guarapuava tem mais cinco casos e chega a 236 registros de covid-19

REDE COLETORA

Sanepar vai investir R$ 145 milhões em Guarapuava

Comentários