Funcionários do HST voltam a enfrentar atraso de salário em Guarapuava

Depois de cerca de oito meses sem grandes atrasos no pagamento da folha dos funcionários, os 380 colaboradores ainda estão sem receber o salário deste mês

Funcionários do HST voltam a enfrentar atraso de salário em Guarapuava (Foto: Divulgação)

Depois de cerca de oito meses sem grandes atrasos no pagamento da folha dos funcionários, o Instituto Virmond – Hospital Santa Tereza (HST) em Guarapuava, voltou a enfrentar a demora no repasse de verbas para pagar os salários.

Assim, conforme o administrador do Instituto Virmond – HST, Francisco Cogo, os 380 colaboradores ainda não receberam o salário deste mês. Em 2018 e 2019, o hospital enfrentou dificuldades por meses seguidos no pagamento dos funcionários. Houve paralisação de parte do quadro funcional. Entretanto, o administrador destacou que a instituição vive um bom momento, e que apenas neste mês não ocorreu o previsto.

A crise é antiga, já que a instituição depende mensalmente de repasse de verbas, atualmente no valor de R$ 1,1 milhão denominado contratualização, por parte do governo estadual. Conforme Cogo, há oito meses os atrasos não eram tão longos como este mês.

“A nossa folha de pagamento é feita sempre que recebemos o repasse que é feito pela Secretaria do Estado. Mas este mês o atraso está acima do habitual. Hoje já é dia 18 e ainda não recebemos o crédito”.

Ainda de acordo com o administrador, o pagamento estava sendo feito até o dia 12 de cada mês. Já se passaram praticamente uma semana além do normal e não há previsão de repasse dos recursos por parte do governo. “Infelizmente o Estado não presta esta informação e, vivemos a expectativa do dia a dia”.

Funcionários entraram em greve em fevereiro de 2019 (Foto: Arquivo/Alcione de Jesus Domingues)

CRISE

Até 2019, os atrasos no pagamento foram rotina no HST.  Conforme a administração, os atrasos ocorriam devido à demora no repasse de recursos do governo do Estado. Na época, o Ministério Público do Trabalho (MPT) fez requerimento para bloquear valores do Hospital Santa Tereza no valor de R$ 800 mil com o objetivo de pagar débitos trabalhistas junto aos funcionários.

Em fevereiro do ano passado, sem receber, os colaboradores chegaram a entrar em greve, que foi encerrada no dia seguinte com o anúncio da liberação dos recursos, após a intermediação da deputada estadual Cristina Silvestri com com a Secretaria de Estado de Saúde, que efetivou a liberação do adiantamento financeiro.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

MERCADO DE TRABALHO

Guarapuava fecha maio com saldo negativo, diz Caged

PROTOCOLO DE SEGURANÇA

Confirmação de covid-19 em parte de equipe fecha Guaraprev

DESTAQUE

Adelmo Klosowski recebe título de "Prefeito Amigo da Criança"

Comentários