Governo abre as portas das universidades estaduais para as cidades

Governo quer ser o elo entre as sete universidades estaduais e os municípios, resolvendo problemas das cidades de maneira ágil e com custos menores

Aldo Bonna, no encontro de capacitação Governo 5.0 no Hotel Rafain Palace & Convention, em Foz do Iguaçu. (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

Ser o elo entre as sete universidades estaduais e os municípios, resolvendo problemas das cidades de maneira ágil e com custos menores. Foi este conceito que o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Bona, apresentou a prefeitos e lideranças  em Foz do Iguaçu. Foi durante o Governo 5.0, em Foz do Iguaçu. Bona listou uma série de atividades que o órgão coloca à disposição das cidades paranaenses.

Durante dois dias, o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o vice-governador Darci Piana, secretários de Estado e presidentes de autarquias e empresas públicas apresentaram as soluções tecnológicas e inovadoras que estão pautando a administração estadual. Conforme o governador, a intenção é fazer com que o processo se espalhe por todos os 399 municípios do Estado, ajudando a transformar o Paraná no Estado mais moderno e inovador do País.

De acordo com o ex-reitor da Unicentro, proporcionalmente, o Paraná possui o maior sistema estadual de educação do País. São 100 mil alunos e sete universidades que realizam uma série de soluções para o Estado”, destacou. “Há sempre uma universidade próxima, em todas as regiões do Paraná”.

Conforme a estrutura, o Estado conta com as universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Estadual do Paraná (Unespar), Ponta Grossa (UEPG). Além do Centro-Oeste (Unicentro), do Norte do Paraná (UENP) e do Oeste do Paraná (Unioeste).

Conforme Bona, essas instituições podem contribuir na construção de planos diretores municipais, organização de concursos públicos e testes seletivos e elaboração de projetos habitacionais e de regularização fundiária, entre outros. “As soluções estão dentro da universidade”.

POPULAÇÃO

Aldo Bona lembrou, ainda, que a própria população pode se aproximar dos campus de ensino superior. Para isso, há oferta de cursos de idiomas, assessoria jurídica ou de clínicas veterinárias. “Queremos e podemos colaborar com a melhoria da qualidade de vida dos paranaenses”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

Relacionadas

ECONOMIA

Fomento Paraná avança em projeto digital para microcrédito

ARTE

Oficinas virtuais do Balé Teatro Guaíra recebem 1.500 paranaenses

EDUCAÇÃO

Projeto vai trazer R$ 400 milhões para Escolas do Futuro

Comentários