IAP lança projetos de educação ambiental no Parque São Camilo

Considerado um dos mais antigos do Estado e um dos poucos fragmentos florestais da Região, o Parque São Camilo, em Palotina, completou 35 anos em 2019

O Parque São Camilo fica localizado em Palotina (Foto: Divulgação/IAP)

Considerado um dos mais antigos do Estado e um dos poucos fragmentos florestais da Região, o Parque Estadual São Camilo, localizado em Palotina, completou 35 anos em 2019. “O objetivo da área é proteger a fauna e a flora local, além de proporcionar à população lazer e contado com a natureza”, diz o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Ambiental Paraná (IAP), Rafael Andreguetto.

Assim, a área traz uma série de benefícios, como a proteção da Floresta Estacional Semidecidual da Bacia do Rio Paraná. “Desde janeiro de 2019 foram recuperadas mais de 100 nascentes d’água no município. Esse é o nosso compromisso, trabalhar diariamente para preservar e conservar o nosso meio ambiente”, ressalta o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Para comemorar a data, técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e do IAP lanáram o Programa Parque Escola e o Programa Estadual de Educação Ambiental (PEEA-PR).

PARQUE ESCOLA

Assim, o objetivo do programa, desenvolvido em parceria com a Secretaria da Educação e do Esporte, é propiciar aos estudantes das redes estadual e municipal de ensino uma maior interação dentro dos parques. Levando assim a sala de aula para um espaço onde possam conviver e ter as aulas práticas sobre o conteúdo abordado nos livros.

“O programa está desenhado para que nos próximos quatro anos a gente possa atingir todos os parques pertencentes ao Paraná”, explica a diretora de Políticas Ambientais da secretaria, Fabiana Campos.

(Foto: Divulgação/IAP)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Além disso, o Programa Estadual de Educação Ambiental (PEEA) foi efetivado como resposta ao Programa Nacional de Educação Ambiental, que determina que os estados devem replicá-lo. Para isso, o Ministério Público do Paraná constituiu um Grupo Gestor para desenhar o programa, composto também por representantes das secretarias estaduais de Educação, Saúde, da Agricultura e do Abastecimento e Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná.

O PEEA-PR foi elaborado de forma participativa e colaborativa. Apontando diretrizes, princípios, objetivos e linhas de ação para a educação ambiental no Paraná. Assim, de acordo com o Instituto Ambiental do PR (IAP) compõem o programa quatro linhas de ação. Sendo elas: Gestão e Planejamento da Educação Ambiental – Monitoramento e Avaliação de Políticas; Programas e Projetos de Educação Ambiental. E ainda Educação Ambiental Não Formal. Além de Educação Ambiental por meio do Ensino Formal. E por fim, Comunicação para Educação Ambiental.

Durante os meses de agosto e setembro, a secretaria promoveu, em parceria com universidades estaduais, audiências públicas para apresentar o PEEA para a população em geral. Após sugestões serem enviadas, o programa foi finalizado e está disponível no site do Conexão Ambiental.

O Paraná é pioneiro na elaboração de um Programa Estadual de Educação Ambiental. “Somos o primeiro a consolidar um programa estadual proposto quando do lançamento do Plano Nacional de Educação Ambiental”, destaca Campos.

Além disso, as metas e desejos em relação à Unidade de Conservação para daqui a 20 anos estão em uma caixa enterrada no local durante a comemoração. Tal artefato é uma espécie de cápsula do tempo.

O PARQUE

O nome da Unidade de Conservação foi definido em função do Rio São Camilo, às margens do qual se localiza a área. Com 640 metros e de fácil acesso, o principal atrativo é a caminhada na Trilha da Ponte, renomeada na celebração como Oneida Fiorentin Nodari. “O Parque oferece também contemplação da natureza. Além de atividades de educação ambiental, voluntariado. E ainda descanso nos quiosques ao lado do lago artificial e recepção. E por fim, atendimento no Centro de Visitantes”, destaca o gerente da área, Norci Nodari.

As principais espécies encontradas ali são pau-marfim, angico. Além de canafístula, cedro, painera, pitangueira. E ainda guavivoreira, gajuvira, louro-branco, canelas. E por fim jaracatiá.

Quanto às espécies de mamíferos, o local abriga mão-pelada, cachorro-do-mato, bugio e o veado. Entre as cobras há a caninana e a muçurana. Também merecem destaque as serpentes, a coral-verdadeira, a jararaca-comum e a cobra-cipó. Entre os répteis aquáticos, estão o jacaré-de-papo-amarelo, habitando os banhados da porção noroeste da reserva, e um indivíduo solitário da tartaruga-norte-americana.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

QUEDA DO WHATS

Em tempo de conexão, queda do WhatsApp deixa usuários apreensivos

BOA NOTÍCIA

Curados da covid-19 chegam a quase 100% em Pinhão

DRIBLANDO A CRISE

União entre poderes quer diminuir os efeitos da crise no Paraná

Comentários