IAP lança projetos de educação ambiental no Parque São Camilo

Considerado um dos mais antigos do Estado e um dos poucos fragmentos florestais da Região, o Parque São Camilo, em Palotina, completou 35 anos em 2019

O Parque São Camilo fica localizado em Palotina (Foto: Divulgação/IAP)

Considerado um dos mais antigos do Estado e um dos poucos fragmentos florestais da Região, o Parque Estadual São Camilo, localizado em Palotina, completou 35 anos em 2019. “O objetivo da área é proteger a fauna e a flora local, além de proporcionar à população lazer e contado com a natureza”, diz o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Ambiental Paraná (IAP), Rafael Andreguetto.

Assim, a área traz uma série de benefícios, como a proteção da Floresta Estacional Semidecidual da Bacia do Rio Paraná. “Desde janeiro de 2019 foram recuperadas mais de 100 nascentes d’água no município. Esse é o nosso compromisso, trabalhar diariamente para preservar e conservar o nosso meio ambiente”, ressalta o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Para comemorar a data, técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e do IAP lanáram o Programa Parque Escola e o Programa Estadual de Educação Ambiental (PEEA-PR).

PARQUE ESCOLA

Assim, o objetivo do programa, desenvolvido em parceria com a Secretaria da Educação e do Esporte, é propiciar aos estudantes das redes estadual e municipal de ensino uma maior interação dentro dos parques. Levando assim a sala de aula para um espaço onde possam conviver e ter as aulas práticas sobre o conteúdo abordado nos livros.

“O programa está desenhado para que nos próximos quatro anos a gente possa atingir todos os parques pertencentes ao Paraná”, explica a diretora de Políticas Ambientais da secretaria, Fabiana Campos.

(Foto: Divulgação/IAP)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Além disso, o Programa Estadual de Educação Ambiental (PEEA) foi efetivado como resposta ao Programa Nacional de Educação Ambiental, que determina que os estados devem replicá-lo. Para isso, o Ministério Público do Paraná constituiu um Grupo Gestor para desenhar o programa, composto também por representantes das secretarias estaduais de Educação, Saúde, da Agricultura e do Abastecimento e Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná.

O PEEA-PR foi elaborado de forma participativa e colaborativa. Apontando diretrizes, princípios, objetivos e linhas de ação para a educação ambiental no Paraná. Assim, de acordo com o Instituto Ambiental do PR (IAP) compõem o programa quatro linhas de ação. Sendo elas: Gestão e Planejamento da Educação Ambiental – Monitoramento e Avaliação de Políticas; Programas e Projetos de Educação Ambiental. E ainda Educação Ambiental Não Formal. Além de Educação Ambiental por meio do Ensino Formal. E por fim, Comunicação para Educação Ambiental.

Durante os meses de agosto e setembro, a secretaria promoveu, em parceria com universidades estaduais, audiências públicas para apresentar o PEEA para a população em geral. Após sugestões serem enviadas, o programa foi finalizado e está disponível no site do Conexão Ambiental.

O Paraná é pioneiro na elaboração de um Programa Estadual de Educação Ambiental. “Somos o primeiro a consolidar um programa estadual proposto quando do lançamento do Plano Nacional de Educação Ambiental”, destaca Campos.

Além disso, as metas e desejos em relação à Unidade de Conservação para daqui a 20 anos estão em uma caixa enterrada no local durante a comemoração. Tal artefato é uma espécie de cápsula do tempo.

O PARQUE

O nome da Unidade de Conservação foi definido em função do Rio São Camilo, às margens do qual se localiza a área. Com 640 metros e de fácil acesso, o principal atrativo é a caminhada na Trilha da Ponte, renomeada na celebração como Oneida Fiorentin Nodari. “O Parque oferece também contemplação da natureza. Além de atividades de educação ambiental, voluntariado. E ainda descanso nos quiosques ao lado do lago artificial e recepção. E por fim, atendimento no Centro de Visitantes”, destaca o gerente da área, Norci Nodari.

As principais espécies encontradas ali são pau-marfim, angico. Além de canafístula, cedro, painera, pitangueira. E ainda guavivoreira, gajuvira, louro-branco, canelas. E por fim jaracatiá.

Quanto às espécies de mamíferos, o local abriga mão-pelada, cachorro-do-mato, bugio e o veado. Entre as cobras há a caninana e a muçurana. Também merecem destaque as serpentes, a coral-verdadeira, a jararaca-comum e a cobra-cipó. Entre os répteis aquáticos, estão o jacaré-de-papo-amarelo, habitando os banhados da porção noroeste da reserva, e um indivíduo solitário da tartaruga-norte-americana.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PROGRAME-SE

'Trenzinho da Luz' oferece passeio gratuito pela 'Cidade dos Lagos'

MORADIA

Famílias recebem casa própria em Santa Maria do Oeste

CANDÓI

Manifestação pede que lei contra maus tratos de animais seja cumprida

Comentários