Irati registra aumento de 70% na oferta de vagas de trabalho em 120 dias

Mesmo durante a pandemia do coronavírus, o mercado de trabalho começa a dar bons sinais de retomada no município

Irati registra aumento de 70% na oferta de vagas de trabalho em 120 dias (Foto: Divulgação)

Mesmo durante o período da pandemia do coronavírus, a Agência do Trabalhador de Irati registrou aumento da oferta de vagas de trabalho no município. Assim, de acordo com Marcelo De Ávila Francos, gerente da agência local, os últimos 120 dias foram positivos, já que houve um aumento de 70% ou mais nas ofertas. E a indústria teve papel fundamental neste crescimento.

“O percentual em alta pode ser atribuído, ainda, ao setor de construção civil, que não sentiu tão a fundo a pandemia. Além disso, ao setor automotivo que voltou a ser aquecido, foi decisivo para sua composição. O início do ano de 2020 foi extremamente promissor na questão de vagas de emprego em Irati”.

Conforme o gerente da Agência, em fevereiro uma empresa local contratou 400 profissionais. “Pouco depois, a pandemia chegou, e o cenário além de reverter, ficou bastante pessimista”. Porém, a economia dá sinais de retomada no município. Só na manhã dessa terça (29), a Agência do Trabalhador fez 120 cadastros de trabalhadores para vagas ofertadas. Conforme o Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Irati tem 2.825 estabelecimentos cadastrados.

(Foto: Secom/Prefeitura de Irati)

CAPACITAÇÃO E PERFIL

Por outro lado, de acordo com Marcelo de Ávila Francos que está a frente da Agência desde 2013, existe uma deficiência muito grande de capacitação profissional por parte do público que procura a agência, e desconhecimento sobre o funcionamento da agência.

“Citamos que ela não pode ser uma agência de desemprego, mas sim de emprego. Dizemos isso porque além de outras funções, este setor habilita o seguro desemprego. Mas a principal função é intermediar uma relação entre o trabalhador que está em busca de vagas e as empresas que as têm para oferecer”.

O gerente esclarece que as empresas estabelecem um perfil para a ocupação que ela está disponibilizando. Além disso, que a Agência segue esse perfil, em especial, quando a empresa exige um profissional com experiência.

“Pedimos aos interessados que levem currículo, só que ele não é uma garantia de colocação. É um estreitamento entre as duas partes, onde o empregador pode fazer a análise, e chamar para entrevista aqueles que ele acredita preencherem os requisitos exigidos”. Conforme Francos, é comum candidatos perguntarem de onde são as vagas. “Nós não podemos dar esta informação. O sigilo é pedido pela empresa”.

CARTEIRA DIGITAL

Desde fevereiro de 2020, a Carteira de Trabalho física não é mais emitida pela Agência. O antigo documento deu lugar à carteira digital. “Todas as empresas tiveram o tempo de adaptação para migrarem para o E-Social. O Portal simplifica a burocracia no trâmite de informações dos trabalhadores. Trata-se de um portal completo para a disponibilização de informações acerca da mão de obra”.

Conforme o gerente, essa foi uma determinação do Departamento do Trabalho. “A CTPS agora é um aplicativo no celular. E em razão disso, pede-se o CPF, já que a carteira digital não tem mais o Programa de Integração Social (PIS)”.

Por fim, o aplicativo está disponível no Google Play Store, com o nome Carteira de Trabalho Digital. Assim, o trabalhador responderá algumas perguntas e vai cadastrar uma senha. “Concluído o processo, o trabalhador recebe as informações. Tanto no caso da primeira carteira, como para aqueles que já tiveram contrato de trabalho”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

13º SALÁRIO

Décimo terceiro salário vai injetar 5,4% a menos na economia em 2020

CONSTRUÇÃO CIVIL

Construção civil apresenta inflação de 1,69% em outubro, diz FGV

GUARAPUAVA

Restaurantes e setor de eventos podem pedir remissão da taxa de alvará

Comentários