Licitações ganharão mais transparência com monitoramento em tempo real

Modelo desenhado pela Controladoria-Geral e desenvolvido em parceria pela Celepar e IBM, permitirá aos gestores o monitoramento das licitações e aquisições

Licitações ganham mais transparência com monitoramento em tempo real (Foto: Jose Fernando Ogura/AEN)

As licitações vão ganhar mais transparência no Paraná. O Governo do Estado consolida os últimos detalhes para iniciar a implantação do Projeto Harpia. Trata-se de uma ferramenta tecnológica que vai aumentar o controle sobre o dinheiro público. Além disso, vai ajudar a combater a corrupção e pode transformar o Paraná no Estado mais transparente do Brasil.

O modelo foi apresentado nesta quarta (24), ao governador Carlos Massa Ratinho Junior pela Controladoria-Geral do Estado (CGE). Desenhado pela CGE, o Harpia começará a ser implantado em julho pela Celepar, órgão responsável pela Tecnologia da Informação do Governo, em parceria com a International Business Machines Corporation (IBM).

Entretanto, a previsão é que o sistema de fiscalização tenha capacidade completa para funcionar no prazo de um ano. O investimento é estimado em R$ 25 milhões e será custeado com recursos do Fundo Estadual de Combate à Corrupção.

De acordo com o governador, é algo inovador, que vai aumentar de forma significativa a transparência e fiscalização de todos os processos de licitação no Paraná. “Licitações que são, sem dúvida, um grande problema no Brasil. E aqui nós queremos ampliar o controle para combater qualquer possibilidade de corrupção”.

O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, ressaltou que com a aplicação do projeto a intenção é reduzir drasticamente a margem de erros nos processos licitatórios dentro do Estado. “A estimativa é de uma diminuição de 97% em qualquer nível de irregularidade”.

(Foto: Jose Fernando Ogura/AEN)

TEMPO REAL

Siqueira explicou que a plataforma vai permitir aos gestores o monitoramento em tempo real de todas as licitações e aquisições feitas pelo Estado. Por meio de um código de QR Code, vai mostrar, por exemplo, quanto custou determinado produto, quem forneceu, o responsável pela aquisição e a data da compra. Qualquer irregularidade será apontada imediatamente, com responsabilização do servidor envolvido.

A informação será compartilhada, também em tempo real, com agentes de controle externo como o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) e o Ministério Público do Paraná (MP-PR). Para isso, a CGE buscou apoio e assessoria da Secretaria da Administração e Previdência e também da Procuradoria-Geral do Estado (PGE). “Estamos desenhando a ferramenta desde o início desta gestão, no ano passado, a várias mãos. É algo para garantir transparência absoluta, controle integral e direto por parte do Estado. É combate à corrupção na veia”.

TECNOLOGIA

Assim, para dar agilidade ao desenvolvimento e tornar o projeto exequível, o Estado buscou um parceiro externo que ajudasse a Celepar na construção de soluções de tecnologia. Conforme Ratinho Junior, ter a IBM junto com a Celepar no desenvolvimento é garantia de sucesso. “Uma ferramenta desenvolvida aqui que a Celepar pode servir a outros estados ou à União como uma prestadora do serviço”.

Diretor de Hybrid Cloud Integration da IBM, Guilherme Novaes Procópio de Araújo reforçou que a Celepar, por ser parceira no desenvolvimento da plataforma, dominará 100% da tecnologia, sendo capaz inclusive de atuar na atualização e ampliação do Projeto Harpia.

“Em seis meses o programa começa a ter vida. Em um ano estará pleno, passando a ser uma plataforma digital para qualquer processo de licitação”, explicou. “É quase uma margem zero para a corrupção. Muitos desvios ocorrem por erros humanos e isso vai acabar. A ferramenta vai ajudar na produtividade do ser humano, reduzindo riscos”.

FUNDO

Raul Siqueira reforçou também que o projeto já nasce pago, sem nenhum custo para o caixa do Estado, já que será custeado pelo Fundo Estadual de Combate à Corrupção (Lei 19.984/2019).

Por iniciativa da CGE, o fundo recebe depósitos de valores de acordos leniência e multas no âmbito da Lei Anticorrupção. “Não é um gasto, mas um investimento que não tem preço. Deixa o Paraná na vanguarda da transparência”..

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

DESTAQUE

Adelmo Klosowski recebe título de "Prefeito Amigo da Criança"

PELOS DIREITOS

Grupo de Trabalho de Segurança Pública LGBTQ+ retoma atividades

DIREITO À TERRA

Incra e Governo focam ações em assentamentos federais no Paraná

Comentários