Município na espera dos testes da gripe A-H1N1

Guarapuava – Não há motivos para pânico em Guarapuava e região em função da gripe A-H1N1, segundo acordo com o médico sanitarista e Diretor de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Fernando Pedrotti. “Não podemos esquecer que a gripe clássica tem provocado a morte de mais pessoas no país do que a gripe A, mas a diferença é que a comum tem vacina, a gripe A ainda não tem, porque é um vírus novo. Por isso trabalhamos mais na questão da prevenção e orientação”, fala.
Na cidade há dois casos suspeitos que estão no aguardo dos exames, sendo que um deles é de outro estado, para onde já retornou. Mas os dois casos continuam sendo acompanhados. “Essa demora está prejudicando o nosso trabalho, as nossas ações, porque se fossem liberados antes, por exemplo, poderíamos usar nosso temo e equipe para outro trabalho”, observa.
Atualmente as amostras do Estado estão sendo encaminhadas para a Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná encaminhou na quarta-feira (1º) pedido ao Ministério da Saúde para que os exames de diagnóstico da Influenza A-H1N1 sejam feitos no próprio estado. Com a autorização, os testes seriam realizados no Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen), o que diminuiria o tempo de espera em 24 horas.
Os 20 servidores (professores e agentes universitários) da Unicentro que estavam em observação desde a semana passada, em decorrência de uma viagem a Londrina (onde há casos confirmados da gripe Influenza A-H1N1), retornam ao trabalho nesta quinta (02), passado o período de quarentena que havia sido recomendado pelo Serviço de Vigilância Sanitária de Guarapuava.
Nenhuma das 20 pessoas apresentou qualquer sintoma de gripe. Eles retomam às atividades normais depois do Ministério da Saúde ter publicado no dia 28 de maio uma portaria diminuindo o período de observação de 10 para sete dias.
Na região, um caso suspeito está sendo monitorado no município de Turvo e outro em Reserva do Iguaçu, também na espera dos testes. Em Prudentópolis e Laranjeiras do Sul, casos (um em cada cidade) já foram descartados.
Orientações
Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável. Evitar locais com aglomeração de pessoas e contato direto com pessoas doentes. Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal. Evitar tocar olhos, nariz ou boca. Lavar as mãos frequentemente com sabão e água, especialmente depois de tossir ou espirrar.

Relacionadas

EXEMPLO

Bituruna economiza R$ 800 mil com redução de salários na pandemia

ECONOMIA

Paraná perde quase R$ 1,5 bilhão em arrecadação no 1º semestre

INSPIRAÇÃO

Projeto do grupo turvense Gralha Azul é premiado internacionalmente

Comentários