Na Câmara, tudo dentro do prazo

Guarapuava – Para o presidente da Câmara Admir Strechar (PMDB), a Prefeitura adotou um discurso populista que tem caixa de ressonância em emissora de propriedade do prefeito Fernando Ribas Carli.
“Tudo agora é culpa da Câmara e se não provamos projetos de leis do Executivo estamos prejudicando a população”, observa Strechar.
Ele se refere à entrevista coletiva convocada pelo município na manhã desta sexta-feira sobre o projeto de lei que pede autorização para a abertura de crédito adicional especial no valor de R$ 1 milhão para obras do aterro sanitário.
A prefeitura perdeu o prazo, após um ano de assinatura de convênio com a Caixa e cujo ano de carência se encerou no dia 24 de junho último. A Prefeitura alega que não tem recurso para concluir o serviço e que os vereadores de oposição não aprovam o projeto de lei que pede o crédito especial.
Strechar lembra que o projeto de lei foi encaminhado à Câmara somente no “apagar das luzes” do prazo estipulado pela Caixa e foi lido e encaminhado à Comissão de Justiça e Redação na sessão da última terça-feira e que ainda passará pelas comissões de Finanças e Orçamento e do Meio Ambiente. “A Câmara está dentro do seu prazo e obedecendo os trâmites legais. Nibguém pediu urgência para esse projeto de lei. Se está havendo negligência não é por parte da Câmara, afirma.

Comentários