Para conter avanço, Odir paralisa atividades de empresas em Pinhão

A Tabocas já deixou de trabalhar nesta terça (9) e permanecerá sem atividades por 15 dias. Uma reunião delibera sobre atividades de outra empresa em Pinhão

Documento assinado pelo prefeito Odir paralisa atividades de duas empresas em Pinhão (Foto: Secretaria de Saúde de Pinhão)

Uma decisão tomada pelo prefeito de Pinhão Odir Gotardo, pelo secretário de Saúde Ivonei de Oliveira Lima e autoridades sanitárias paralisou as atividades da empresa Tabocas na cidade.

De acordo com o secretário de Saúde, a empresa sediada em Belo Horizonte atua no segmento de construção de linhas de transmissão e subestações de energia. No município emprega 300 funcionários, dos quais quatro já testaram positivo para a Covid-19.

Um deles ficou internado no Hospital São Vicente em Guarapuava, mas já recebeu alta. Nesta semana, outros quatro funcionários positivaram. “Fizemos testes rápidos que também deram positivos e devem aumentar o índice em Pinhão a partir de hoje (9)”.

Conforme Ivonei, a determinação do prefeito é que a Tabocas deixe de funcionar pelos próximos 15 dias. “Hoje a empresa já não trabalhou”. A Tabocas possui escritórios em outros municípios e estados. Incluí-se aí, locais onde há casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus e há muito fluxo de funcionários entre os municípios.

MEDIDAS SEMELHANTES

Entretanto, uma reunião que começou às 14h desta terça (9) vai tomar medidas em outra empresa que atua na cidade. De acordo com o secretário de Saúde, Ivonei de Oliveira Lima, a pauta desse encontro trata sobre as medidas de segurança que devem ser tomadas pela direção das empresas.

“A nossa preocupação é conter a propagação do vírus e não perder o controle”. Porém, o secretário de Saúde disse que muitos trabalhadores são de outros municípios e estão transferindo as famílias para Pinhão. “Essas pessoas chegam de ônibus e isso nos preocupa. Precisamos agir enquanto temos as rédeas nas mãos”.

Conforme Ivonei, desde ontem (8), Pinhão implantou barreiras sanitárias nos três acessos ao município. Também intensificou a fiscalização quanto o ao uso de máscaras, horário de atendimento do comércio, cumprimento dos protocolos de higiene.

“Não podemos deixar que ocorra aqui como no município de Coronel Domingues Soares, uma cidade com sete mil habitantes e que já está com 143 casos confirmados da doença”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

INDIGNAÇÃO

Em Candói, manifestantes pedem prisão para agressores de animais

COLHEITA FARTA

Produtor de cevada comemora colheita, qualidade e preço

REGIÃO

PM identifica autora de postagens ofensivas à Corporação em LS

Comentários