PF apreende R$ 40 milhões provenientes do tráfico internacional no PR

Na Operação Narcobroker, a PF descobriu que a organização atuava em Curitiba, Paranaguá, Matinhos e Campo Largo

PF apreende R$ 40 milhões provenientes do tráfico internacional no PR (Foto: Ascom/Polícia Federal)

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (4) no Paraná e em outros três estados brasileiros, a Operação Narcobroker em ação conjunta com a Receita Federal. O objetivo da operação é desarticular financeiramente uma organização criminosa especializada no tráfico de cocaína para a Europa. A organização atuava em cidades do Paraná, São Paulo e Santa Catarina.

Assim, conforme a PF foram apreendidos R$ 40 milhões em bens do narcotráfico. O dinheiro diz respeito à imóveis e veículos de luxo utilizados pelos envolvidos. A equipe avaliou apenas uma das casas de um dos traficantes em aproximadamente R$ 6 milhões.

MANDADOS JUDICIAIS

Cerca de 150 policiais federais cumprem 39 mandados judiciais. Sendo desses, nove de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 28 de busca e apreensão no Paraná. As cidades onde o bando atuava são Curitiba, Paranaguá, Matinhos e Campo Largo.

Já no estado de São Paulo, a organização atuava em São Paulo (capital), Santos, Santo André, Peruíbe e Atibaia. Por fim, em Santa Catarina: Itapema, Balneário Camboriú, Itajaí, Camboriú e Urubici.

BLOQUEIO DE BENS

(Foto: Ascom/Polícia Federal)

A Justiça Federal em Curitiba também determinou o bloqueio de contas de 68 pessoas físicas e jurídicas. Isso porque, segundo as investigações, as contas tiveram movimentação suspeita de aproximadamente R$ 1 bilhão. A movimentação ocorreu entre 2018 e 2020. Entretanto, as equipes ainda não contabilizaram o montante total dos valores bloqueados.

Além disso, a Justiça Federal determinou o bloqueio de três empresas que a organização criminosa utilizava para a lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

(Foto: Ascom/Polícia Federal)

INVESTIGAÇÕES

A PF iniciou as investigações em 2019. Sendo assim, apontam que os integrantes da organização criminosa utilizavam empresas fantasmas e de fachada para comprar mercadorias de origem orgânica. Assim, visando dificultar a atuação dos órgãos de fiscalização e segurança. Os envolvidos acondicionavam as drogas em contêineres. E, também ocultavam centenas de quilos de cocaína que enviavam à Europa.

Desse modo, a polícia prendeu, durante os trabalhos investigatórios, 240 quilos de cocaína no porto de Paranaguá. Além disso, a Justiça Federal expediu o mandado de prisão preventiva em desfavor de um brasileiro que se passava por empresário na Espanha. Mas, tratava-se de um suspeito entre as organizações criminosas brasileiras e europeias. Por fim, conforme a PF, ele recebia a droga que chegava escondida em meio à carga lícita.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

PANDEMIA DA COVID-19

Governo do Paraná confirma implantação do toque de recolher

SUGESTÃO

Deputados pedem suspensão das provas do PSS do magistério

VACINA É IMPORTANTE

Hoje (30) é o último dia da vacinação contra a pólio no Paraná

Comentários