PF deflagra Operação Ares II contra quadrilha de tráfico de armas

Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu – A Polícia Federal deflagra hoje, 28, no Rio de Janeiro e em Foz do Iguaçu/PR, a Operação Ares II, ação interestadual simultânea com o objetivo de desarticular organização criminosa responsável por fornecer armamentos de uso restrito e com grande poder de destruição a quadrilhas que atuam em favelas do Rio de Janeiro.
Já foram cumpridos 3 mandados de prisão no Rio de Janeiro e um em Foz do Iguaçu. Além disso, foram expedidos seis mandados de busca e apreensão pela 25ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.
Um dos alvos da operação encontra-se foragido em razão de um aviso dado pelo porteiro do condomínio em que residia. O porteiro foi conduzido à Superintendência da PF no Rio de Janeiro onde está sendo lavrado Termo Circunstanciado pela prática de favorecimento pessoal (art. 348 do Código Penal).
A Polícia Federal aguarda a apresentação do foragido a qualquer momento na sede da instituição na Praça Mauá, Rio de Janeiro, tendo em vista que entre os presos estão sua esposa, filho e pai, este último, detido em flagrante por possuir na residência munição e armas de fogo, inclusive um revólver Magnum 44, de calibre restrito.
As investigações, conduzidas pelo CICOR – Centro de Inteligência Policial Compartilhada de Combate ao Crime Organizado da Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro, foram iniciadas em outubro de 2008 com a apreensão de 25 armas em Foz do Iguaçu/PR, encontradas em um veículo com placas de São Paulo tripulado por dois brasileiros residentes na fronteira. O arsenal era composto por pistolas automáticas 9mm de fabricação israelense, austríaca e argentina, quatro revólveres calibre 44, da marca Magnum e uma submetralhadora MAC 10 israelense.
A organização criminosa atuava na cidade de Foz do Iguaçu, de onde as armas seguiam para o Rio de Janeiro para distribuição em morros e favelas escondidas na parte interna de veículos de passeio. O líder da quadrilha e destinatário das armas era morador de São Gonçalo/RJ e atuava na área de transporte alternativo para lavar o lucro com o tráfico de armas.
Na última terça-feira, 26, com o auxílio da Delegacia de Polícia Federal em Cascavel, foram apreendidas a bordo de um veículo de passeio armas de procedência estrangeira (belga, austríaca e israelense) de uso restrito das Forças Armadas: dois fuzis de calibre 7,62 e 5.56, duas metralhadoras 9 mm, duas pistolas 9 mm e carregadores diversos.
A Polícia Federal calcula que com as apreensões de armas e bens realizadas ao longo das investigações, a quadrilha tenha tido prejuízo de cerca de 500 mil reais, nos valores correntes aplicados no mercado negro de armas no Brasil. As investigações revelaram ainda que o grupo planejava expandir a atividade criminosa e aumentar consideravelmente a quantidade de armas a serem distribuídas no Rio de Janeiro.
A operação, conduzida pelo CICOR, teve o apoio de policiais da DELEARM/RJ, da Divisão de Repressão ao Tráfico de Armas e da Delegacia da Polícia Federal em Foz do Iguaçu.

Relacionadas

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Distanciamento social aumenta casos de violência contra a mulher

TRABALHO EFETIVO

Homem que roubou postos de gasolina é preso nesta terça (7)

NOTA OFICIAL

Advogado de vereador investigado afirma que "medida de busca e apreensão foi excessiva" 

Comentários