Plataforma online guarapuavana ofertará serviço de prevenção ao suicídio no Paraná

‘Guarapuava Salvando Vidas ‘iniciará atendimento em 9 de março

O município de Guarapuava vai ter em breve um  serviço especializado de prevenção ao suicídio. A ideia é de Arthur Mondin, de 81 anos, que está lançando uma plataforma online que ofertará atendimento de prevenção ao suicídio via chat. O serviço ‘Guarapuava Salvando Vidas’ estará disponível a partir do dia 9 de março no site gsvchat.org.

“A pessoa que deseja falar conosco, vai acessar o site e conversar com um dos nossos voluntários. Esse é um trabalho que se inspira no combate a solidão. A solidão é claramente hoje um dos motivos que leva a depressão e, por sua vez, ao suicídio”.

Arthur Mondin (Foto: Nádia Moccelin/RSN)

O trabalho de prevenção ao suicídio está presente na vida de Arthur há mais de três décadas, quando ele participou como voluntário do Centro de Valorização da Vida (CVV). Foi lá que Arthur, em 2008, também criou uma plataforma de atendimento por chat, desta vez, para cobertura nacional.

“Eu me sentia muito incomodado por não sermos procurados por jovens ao telefone e ali no chat, a maioria das pessoas que nos procuram são jovens. Eu cheguei a conversar com pessoas, que eu posso chamar de crianças, de 13 anos de idade”.

A ideia da plataforma ‘Guarapuava Salvando Vidas” é ter a cidade como centro dos atendimentos feitos pelos voluntários mas, com cobertura por todo o Paraná. Assim, problemas encontrados no chat de cobertura nacional dentro do CVV, por exemplo, poderão ser minimizados, pouco a pouco.

“A procura por atendimento no chat é imensa, por isso, estamos iniciando este trabalho. Quis usar Guarapuava porque acho que é uma forma da própria cidade se posicionar de uma forma acolhedora, mais humana”.

Serviço estará disponível a partir de 9 de março (Imagem: Reprodução)

De acordo com Arthur, que mora em Guarapuava há cinco anos, inicialmente, o atendimento ocorrerá das 19h às 23h na sexta e no sábado, além de domingo, das 19h às 21h. A decisão leva em conta o número de voluntários da plataforma, que conta com 12 pessoas atualmente. Para cobrir o Estado, em todos os dias da semana, são necessários cerca de 60 colaboradores treinados.

Nosso voluntário conversa com a outra pessoa sem dar conselhos, emitir julgamentos, fazer recomendações, ele vai simplesmente ouvir a outra pessoa de uma forma amiga, acolhedora. É importante falar que a outra pessoa está anônima. Isso permite a ela, que ela consiga pôr para fora e falar sobre algo que, às vezes, ela não fala para ninguém. Isso facilita o desabafo dela. Esse tipo de trabalho acaba sendo preventivo ao suicídio.

VOLUNTÁRIOS

Para participar como voluntário do ‘Guarapuava Salvando Vidas’, Arthur iniciou um treinamento com um grupo de pessoas em outubro de 2018. Segundo ele, são necessárias três fases, divididas em, aproximadamente, 40 horas de curso.

“Inicialmente é a parte teórica. Depois partimos para um treinamento sobre atendimentos já feitos para que eles visualizem como é a participação do voluntário. Agora, estamos finalizando a fase de treinamentos reais, onde o candidato em treinamento entra no chat como voluntário, eu entro como uma pessoa que procura atendimento e nós simulamos uma situação”, explica.

Para os interessados em integrar o grupo de voluntários do ‘Guarapuava Salvando Vidas’, basta deixar uma mensagem para equipe na plataforma online manifestando o interesse. Para conhecer mais sobre a iniciativa, é possível acessar também as redes sociais no Facebook e no Instagram.

Relacionadas

QUASE PRONTO

Hospital Regional poderá ter ala para atender pacientes com coronavírus

PROTEÇÃO CONTRA GRIPE

Vacinação contra a gripe já ultrapassa 14 mil doses aplicadas

DETERMINAÇÕES

Estado estabelece normas para proteção de trabalhadores

Comentários