Polícia Científica do Paraná se manifesta sobre IML de Guarapuava

Em nota, Polícia declara que novos servidores devem contribuir para a melhora nos serviços do Instituto

A situação do Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava, a partir do mês de setembro, deve apresentar “melhora sensível na prestação dos serviços”. A declaração é da Polícia Científica do Paraná e refere-se a nova composição do quadro funcional do IML, que passará a contar com novos profissionais concursados em atuação.

(Foto: Matheus Buoungermino)

O posicionamento rebateu a declaração do chefe administrativo do Instituto do terceiro planalto que pontuou que “caso não houvesse número suficiente de funcionários para o setor de necrotério a partir do mês que vem (setembro), o IML de Guarapuava poderia deixar de atender algumas demandas do plantão de liberação de cadáveres”. A avaliação foi feita pelo chefe administrativo do IML de Guarapuava, Obadias de Souza Lima Júnior, e notificada à Polícia Científica do Paraná no início desta semana.

No documento enviado à Polícia Científica, o chefe administrativo comunicou que o quadro funcional de setembro contará com quatro médicos legistas recém chegados, quatro auxiliares de perícias (motoristas do veículo de remoção dos cadáveres) recém chegados, dois auxiliares de necropsia recém chegados, um agente de apoio para funções administrativas, um funcionário do setor de limpeza e dois agentes de perícia concursados, sendo que, destes dois últimos, um encontra-se em licença médica e em processo de aposentadoria e, o outro, na chefia administrativa, respondendo também pelo procedimento de plantões na remoção dos cadáveres, exames de necropsias, liberação de cadáveres para familiares e assuntos administrativos.

Para que a jornada de 40h semanais para funcionários do Estado e de 20h para médicos legistas do Instituto seja respeitada, o chefe administrativo mapeia o quadro de funcionários necessário: oito médicos legistas, cinco ajudantes de perícia, cinco auxiliares de necropsias, dois agentes administrativos, quatro estagiários, dois funcionários para limpeza, um chefe administrativo e quatro enfermeiros para auxílio e atendimento a pessoas vivas em clínica médica legal e coleta de sangue.

Em nota, a Polícia Científica declarou que a nomeação dos novos funcionários, “nos permite acreditar, que haverá melhora sensível na prestação dos serviços, dado ao comprometimento institucional e melhor remuneração dos novos servidores”. Já que, segundo a Polícia Científica, nove funcionários contratados através de processo seletivo simplificado – PSS, com validade de dois anos (temporários) tiveram seus contratos encerrados e, a partir do próximo mês, dez novos profissionais estarão em atuação (quatro peritos oficiais médicos-legistas, quatro auxiliares de perícia oficial para remoção de cadáveres e dois auxiliares de perícia oficial para necropsia), havendo assim um acréscimo de funcionários.

Ainda segundo a nota, “as referidas nomeações com o apoio do Governo do Estado do Paraná e da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, são parte dos esforços da Polícia Científica, que ainda passam pela melhoria na gestão de pessoas e recursos, bem como a administração, tudo para garantir a ampliação e eficiência da prestação dos serviços aos paranaenses”, diz o texto.

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

MAIS CONFIRMAÇÕES

Guarapuava registra cinco novos casos de covid-19 em 24h

BALANÇO SEMESTRAL

Polícia Ambiental registra aumento de prisões e resgates de animais

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com