Polícia Civil não confirma versão de estupro sobre a morte de Suelen Weber

"Ainda não temos nenhuma causa da morte. Vamos aguardar a análise pericial para, inclusive, instaurar inquérito", afirma delegado responsável

*Reportagem atualizada às 11h33 desta quinta feira (7) para inserção de informação, no 5º parágrafo.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Na manhã desta quarta (6), o delegado Bruno Miranda que investiga o caso da jovem Suelen Weber, de 18 anos morta em Turvo no sábado (2), informou com exclusividade ao Portal RSN, que as investigações preliminares estão sendo no viés de feminicídio. De acordo com o delegado, não há nenhuma informação oficial de que a jovem tenha sido estuprada.

Segundo o delegado, o Instituto Médico Legal de Guarapuava (IML) fez uma necrópsia detalhada, com a coleta de material vaginal para constatar se houve relacionamento sexual. Houve também coleta de sangue para exame toxicológico. “Estamos investigando também qual o contexto das lesões anteriores a morte, já que ela tinha várias escoriações”.

O delegado pediu prioridade ao IML e à Polícia Civil pela relevância do caso. “Ainda não temos nenhuma causa da morte. Vamos aguardar a análise pericial para, inclusive, instaurar inquérito”. Ao Portal RSN, foi informado que um laudo pericial pode levar até 60 dias para ser concluído. O delegado Bruno Miranda afirmou que ninguém foi preso ou apresentado à polícia até o momento.

Bruno Miranda disse que vai levar em consideração para a investigação, todas as informações que circulam pelas redes sociais. Em entrevista exclusiva ao Portal RSN, uma das tias de Suelen, Valdeni Schneider contou que a possibilidade do estupro foi levantada no Hospital Bom Pastor, onde Suelen foi atendida no início da tarde de sábado (2).

De acordo com a tia, a médica que fez o atendimento informou que Suelen estava inconsciente por causa de um coágulo na cabeça, e apresentava ferimentos na região vaginal, além de ter dentes quebrados. “Primeiro consideramos que ela tinha sofrido uma queda de moto. Depois, vimos que ela estava muito quebrada e soubemos que imagens de uma câmera da rua, mostraram uma caminhonete largando ela na calçada na casa da minha mãe”. Em contato com a redação do Portal RSN, a médica no entanto não confirma a declaração dada pela família.

A jovem morava com a avó. O pai e dois irmãos residem na localidade de Cambucica, interior do município. A morte de Suelen gerou comoção entre os moradores de Turvo e ganhou repercussão nas redes sociais. Foi criado um grupo (#turvoemluto) no whatts app. Posteriormente, o movimento ganhou destaque no Facebook.

Relacionadas

EM COMEMORAÇÃO

Após 36 dias na UTI por covid-19, idosa de 69 anos é transferida para leito

TRÁFICO NA BR

Dois traficantes são presos transportando cocaína e maconha na BR-277

TIROS

Briga termina em tiros e deixa dois jovens feridos em Cantagalo

Comentários