Procon alerta para aumento de produtos da cesta básica

Denúncias feitas ao Procon informaram preços abusivos de produtos básicos. A orientação é de atenção na hora das compras

Cesta básica está subindo de preços, alerta Procon (Foto: Reprodução)

Itens como arroz, feijão, leite, óleo de soja, entre outros alimentos são comuns na mesa dos brasileiros. Segundo o Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), alguns consumidores estão denunciando altos preços no Paraná. Assim, a orientação é de que consumidores fiquem atentos na hora das compras.

Conforme informações da Agência Estadual de Notícias (AEN), a Secretaria Nacional do Consumidor recebeu um alerta. De acordo com a chefe do Procon-PR, Claudia Silvano, nos últimos dias chegaram várias denúncias sobre o aumento de valores em itens da cesta básica. “Solicitamos providências para a Secretaria Nacional, pois identificamos aumento de preço em outros Estados também”. Além disso, o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Mauro Rockenbach, reafirmou esse compromisso de manter os preços justos.

O atual momento ainda é delicado e o Procon está atuando incansavelmente em suas plataformas digitais para garantir que os direitos do consumidor não sejam desrespeitados.

DÚVIDAS E RECLAMAÇÕES

Desse modo, caso o consumidor fique com dúvidas ou reclamações. Ele pode utilizar, entretanto, a ferramenta de atendimento on-line do Procon-PR. Através dos site, e pelo app. E se a empresa não estiver cadastrada no site, basta entrar nesse link do Procon-Pr e clicar no banner “Faça aqui sua reclamação”. Assim, em Guarapuava, o Procon fica na rua Capitão Frederico Virmond, 1913. E também, pelo telefone (42) 3621-4592.

PIB CAIU

O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, teve queda de 9,7% no segundo trimestre deste ano. A comparação é com o trimestre anterior. Os resultados foram divulgados nessa terça (1), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Assim, o PIB caiu 11,4%, comparando com o segundo trimestre de 2019. Ambas as taxas foram as quedas mais intensas da série, iniciada em 1996. No acumulado dos quatro trimestres terminados em junho, houve queda de 2,2%. Os valores para comparativo são relativos aos quatro trimestres anteriores.

Segundo o IBGE, o PIB do segundo trimestre caiu por diversos motivos. Um deles é o auge das medidas de distanciamento social, com a pandemia da covid-19. Especialmente, em março deste ano.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MODELO

Cilla Tech Park atrai investidores de Cascavel para Guarapuava

REGULARIZAÇÃO

Alguns estabelecimentos precisam regularizar cadastro no 'Comida Boa'

DEFESA DO CONSUMIDOR

Procon de Guarapuava retoma audiências, mas no formato virtual

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com