Procuradoria da Mulher do Paraná comemora um ano de criação

Órgão instalado na Assembleia Legislativa em 2 de julho de 2019, atua na manutenção e ampliação de políticas para mulheres no Estado

Órgão atua na manutenção e ampliação de políticas para mulheres no Estado (Foto: Ascom/gabinete parlamentar)

Neste (2) de julho, a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) completa um ano de atividade. O órgão é comandado pela deputada estadual e primeira procuradora da mulher, Cristina Silvestri. Assim, foi criado com o intuito de funcionar como um instrumento do Legislativo Estadual para manutenção e ampliação de políticas públicas para as paranaenses.

De acordo com a deputada, a criação da Procuradoria foi um marco para o Legislativo Paranaense e, também, um exemplo para o legislativo de outros Estados. “Estamos mostrando que as Casas de Leis também precisam de articulações específicas para a manutenção e ampliação de políticas públicas e incentivo às pautas femininas”.

No primeiro ano de atuação, a Procuradoria Especial da Mulher já fez ações importantes em diversas frentes da causa feminina, seja em segurança, política, saúde, entre outras coisas. Além disso, o trabalho conta com apoio das deputadas Cantora Mara Lima, Mabel Canto, Luciana Rafagnin, Maria Victória e dos deputados, órgãos de justiça e outras instituições de segmentos variados.

O TRABALHO

Para mostrar o que foi feito até agora, o órgão lançou um relatório de ações, que está disponível para consulta em versão digital. Conforme Cristina Silvestri, esse foi um ano de muitas conquistas importantes.

“Foram ações em segmentos variados e que trazem resultados expressivos. Um dos mais recentes foi a conquista do boletim de ocorrência on-line, solicitado pela Procuradoria da Mulher à Secretaria de Segurança, com apoio de deputadas e deputados, neste período de pandemia”.

ATENDIMENTO

Uma das principais funções da Procuradoria é fiscalizar e encaminhar as denúncias de mulheres que não têm os direitos garantidos. Portanto, os atendimentos continuam durante a pandemia.

Desse modo, mulheres que são vítimas de violência que procurarem ajuda e não receberem o devido atendimento, podem acionar a Procuradoria da Mulher da Assembleia.

Entre em contato pelo WhatsApp (41) 9 8814-2228, e-mail ou pelas redes sociais Instagram ou Facebook.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

NOVAS DETERMINAÇÕES

Decreto autoriza retorno de faculdades particulares em Guarapuava

COMIDA BOA

Cartão Comida Boa pode ser utilizado até a sexta (7)

LUTO

Adolescente atingido por disparo na cabeça morre após oito dias internado

Comentários