Requião Filho contesta que propôs venda de sede para quitar multas do MDB

João Arruda também defende a venda do antigo casarão que precisa de reformas, inviáveis pela redução do fundo partidário em 50%

Deputado Estadual Requião Filho (Foto: Divulgação)

O deputado estadual Requião Filho desmentiu que tenha proposto a venda da sede do MDB, em Curitiba, para quitar dívidas deixadas pelo senador Roberto Requião, ex-presidente do Diretório Estadual. O débito, estimado em R$ 1,9 milhão, é oriundo de multas eleitorais, acumulado em cerca de oito anos, segundo o deputado. Blogs da capital paranaense divulgaram nota afirmando que o deputado teria esse interesse. “São notas plantadas por pessoas descontentes por eu ter sido o quarto deputado mais votado do Paraná. Essas pessoas não são do bem e querem me indispor dentro do partido”, alfineta.

De acordo com Requião Filho, em contato telefônico com o Portal RSN, a proposta para venda do casarão de três andares e de cerca de 500 metros de área útil, leva em consideração a necessidade de manutenção do prédio que é antigo e que, numa avaliação preliminar, custaria um valor até mais alto do que o prédio valendo. “O prédio é  muito antigo e precisa ser reformado por inteiro”. De acordo com o deputado, outra condição que influenciou na proposta de venda feita pelo deputado, é que poucas peças são utilizadas pelo partido, enquanto as demais ficam ociosas.

Um terceiro fator determinante, segundo o deputado, é a situação financeira do partido que, com a redução do repasse do Fundo Partidário cai em 50%, passando dos atuais R$ 180 mil para R$ 90 mil.

João Arruda, presidente do MDB no Paraná (Foto: Divulgação)

“O problema financeiro do partido é grave não se trata apenas da mudança na legislação que proibiu o pagamento de multas eleitorais a partir de 2016”, disse o presidente do MDB no Paraná, João Arruda  ao Portal RSN na tarde desta terça feira (15). É que um novo entendimento em 2016 impede que o Fundo seja utilizado para pagamento de multas eleitorais. Isso fez com que os pagamentos feitos até então sejam ressarcidos.

“Portanto, o nosso orçamento não comporta mais a estrutura existente. Sem contra que corremos o risco de perder o Fundo Partidário”, insiste João Arruda.

O presidente medebista lembra que a sede foi reformada há 15 anos com dinheiro do fundo e não dos filiados e o partido precisa de uma sede mais moderna e que seja adequada a realidade de hoje. “Temos um problema, precisamos resolver e vamos resolver. Não me interessa o culpado ou o responsável. Preciso resolver o futuro”, enfatiza o presidente. Segundo Arruda, a decisão passa pela executiva estadual do MDB.

 

Relacionadas

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

Novo decreto estadual impõe novas medidas sobre eventos

EDUCAÇÃO

Governo adia prova de conhecimento do PSS para 20 de dezembro

PANDEMIA DA COVID-19

Governo do Paraná confirma implantação do toque de recolher

Comentários