Sanepar e Agepar se reúnem com deputados para explicar alta de tarifa

Aumento deve vigorar a partir do dia 17 de maio

*Reportagem com áudio.

Sanepar (Foto: Sanepar)

O paranaense vai pagar mais caro pela conta de água a partir de 17 de maio próximo quando entra em vigor o aumento de 12,13% sobre a tarifa. O aumento vale também para o esgoto. Para explicar o reajuste o presidente da Sanepar, Claudio Stabeli, e o presidente em exercício da Agência Reguladora do Paraná (Agepar), João Vicente Bresolin Araújo, participaram de audiência na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nessa terça (23).

O convite para a reunião aconteceu após os deputados Homero Marchese (PROS) e Mabel Canto (PSC) apresentarem requerimento em plenário no último dia 16, que foi acatado pelo líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD). Claudio Stabile explicou a composição da tarifa cobrada pela Sanepar. Disse que de 2006 a 2010, o preço ficou congelado e em 2011 teve um aumento de 16%.

Até março de 2016, foram seis reajustes, que totalizou 64,3%. Mas em 2017 foi feita uma reavaliação entre os ativos da Sanepar e os investimentos feitos pela Companhia. Constatou-se uma defasagem em relação à tarifa vigente, naquele ano, de 26% apesar dos aumentos já praticados.

A Agepar determinou que estes 26% fossem diluídos ao longo de oito anos, sendo que a primeira parcela foi aplicada em 2017. Nos sete anos seguidos deveria ser aplicado o índice de 2,11% corrigido pela correção monetária. Foi o que aconteceu em 2018 e agora em 2019, como relatou Bresolin. Devido a correção, o percentual atual é de 4,50%.

O que aconteceu neste reajuste de 2019, é que, além da inflação Sanepar de 3,79%, que incide outros indexadores diferentes dos que medem a inflação da cesta básica, por exemplo, ainda são acrescentados os insumos e custeios da Companhia, resultando em um índice total de 7,56%. A esse valor, deve-se acrescer ainda o percentual do parcelamento definido em 2017, o que resultou em um reajuste de 12,13% para este ano.

O presidente em exercício da Agepar ressaltou que ainda restam cinco parcelas a serem implantadas em reajustes futuros e que a Agência realiza audiências públicas para definir a forma como essa correção será aplicada, se ano a ano ou haverá entendimento para a antecipação, o que segundo ele, será um aumento menor para a população. Ele disse ainda que esta audiência na Assembleia foi uma grande oportunidade para esclarecer o reajuste aos deputados e à população.

O presidente da Sanepar disse que o cálculo é feito pela Agepar, o que a Sanepar faz é repassar os índices de custo.

O deputado Homero Marchesi disse que a Sanepar está numa situação bastante cômoda porque não tem concorrência.

O líder da oposição, deputado Tadeu Veneri (PT), não se convenceu das explicações dadas.

Apesar das discordâncias, o líder do governo acredita que a reunião serviu para esclarecer o reajuste.

 

Relacionadas

NOVO BOLETIM

Guarapuava registra seis novos casos de covid-19 em 24h

NOVO PERÍODO

Paraná registra 1ª morte por dengue durante os últimos quinze dias

UTILIDADE PÚBLICA

Obras vão interditar a BR-277 no acesso para Guarapuava nesta quarta (23)

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com