Sanepar garante que não faltará água em Guarapuava durante o Verão

Distribuição diária é de 30,5 milhões de litros; mas é preciso que a população contribua evitando desperdício

Sanepar em Guarapuava (Foto: Divulgação)

Com uma distribuição média diária de 30,5 mil metros cúbicos de água, o equivalente a 30,5 milhões de litros, a Sanepar garante que não faltará água durante o Verão em Guarapuava.

De acordo com o coordenador de indústria da gerência regional de Guarapuava, Paulo Cesar Rodrigues dos Santos, apesar da distribuição média, os reservatórios tem a capacidade de 32 mil metros cúbicos. Paulo alerta, entretanto, que as temperaturas elevadas provocam o aumento do consumo de água e muitas vezes fazem com que as pessoas tenham atitudes que levam ao desperdício.

ORIENTAÇÕES

Dois fatores devem ser levados em consideração para que o usuário não fique insatisfeito. Afinal, junto com os banhos mais demorados, irrigação de jardins e lavagens de calçadas, o uso de piscinas particulares, principalmente as de plástico, pode surpreender, não apenas com a falta de água, mas com a chegada da conta de água no final do mês.

Para se ter uma ideia, a quantidade de água usada em uma piscina de cinco mil litros, por exemplo, corresponde ao volume suficiente para abastecer uma família de até quatro pessoas por 15 dias.

Por causa disso, a Sanepar alerta os moradores com residências com piscina sobre a importância das manutenções constantes para garantir a qualidade da água e orienta para que a complementação do nível da piscina seja realizada fora dos horários de pico, antes das 10h da manhã ou à noite, depois das 22h.

No caso das piscinas plásticas, há outras duas dicas essenciais para quem quiser evitar desperdícios. Uma delas é cobrir a piscina quando ela não estiver sendo utilizada para evitar que sujeiras caiam na água, e, também, para evitar que a incidência da luz solar provoque a eutrofisação, processo que provoca a proliferação de algas na água e também a aparição de outras bactérias. Cobrir a piscina também evita que ela se transforme em foco do mosquito transmissor da dengue (Aedes aegypti).

A outra dica é não descartar todos os dias a água destas piscinas, evitando o gasto excessivo com a reposição da água. Considerando a perda na evaporação, principalmente em dias quentes, armazenar a água de chuva para a reposição também é uma boa solução. O ideal é implantar conectores nas saídas das calhas para direcionar a água da chuva.

Em relação às piscinas de fibra ou alvenaria é essencial que elas tenham sistema de filtragem e que a limpeza seja realizada preferencialmente por profissionais especializados. A manutenção é garantia de saúde dos frequentadores e de economia de água.

Segundo a Sanepar, é importante que os moradores também reutilizem a água. Quando houver necessidade de descarte da água da piscina, o ideal é que a água seja armazenada em baldes e bacias para depois servir na lavagem de carros e calçadas, em vez de gastar novamente água tratada para essas atividades.

Relacionadas

AJUDE ALGUÉM!

Pandemia reflete ativamente na saúde mental da população

DOAR FAZ BEM

Projeto ajuda os recém-nascidos de famílias pobres em Guarapuava

OPORTUNIDADE

DER busca empresa para assumir linha entre Guarapuava e Inácio Martins

Comentários