Saúde promove curso em vigilância ambiental para recompor quadro

Curso é a distância com atividades complementares presenciais. As aulas começam nesta quarta (27). Objetivo é recompor quadro de especialistas

Conteúdos do curso serão disponibilizados no ambiente virtual de aprendizagem Avasus (Imagem: Reprodução)

Para recompor os quadros técnicos e garantir a qualificação permanente de servidores, a Secretaria de Estado de Saúde promove o curso de aperfeiçoamento em vigilância em saúde no Paraná. Promovido pela Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP), o curso tem Ênfase em Vigilância Ambiental nas Ações de Controle de Doenças de Transmissão Vetorial e Zoonoses do Paraná.

Assim, as inscrições estão abertas. De acordo com a Agência Estadual de Notícias, as aulas serão a distância e atividades complementares presencialmente. Além disso, o curso tem 180 horas e está dividido em seis unidades. São 510 vagas distribuídas entre os municípios do Paraná. Desse modo, as atividades terão início nesta quarta (27), quando as aulas serão disponibilizadas no ambiente virtual da ESPP.

O secretário da Saúde, Beto Preto, destaca a necessidade de constantes treinamentos e aperfeiçoamentos. Ele destacou que os serviços em saúde são dinâmicos e que os servidores devem ser treinados com frequência. “Além disso, muitos funcionários experientes e com imenso conhecimento se aposentaram ou deixaram o serviço público e não houve a reposição”.

PROPOSTA

Há anos a área da Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde vem ficando precária por aposentadorias, saídas de servidores e eliminação de posições específicas. Desse modo, atualmente os municípios têm poucos especialistas. Além disso, a secretaria estadual está com número restrito de técnicos com as competências voltadas para a área.

A proposta do curso interdisciplinar é para que servidores estejam melhor preparados para o trabalho em Vigilância Ambiental das Secretarias Municipais de Saúde e Regionais de Saúde com foco no controle das arboviroses, entre elas dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

Para o diretor da Escola de Saúde Pública do Paraná, Edevar Daniel, os conteúdos planejados dão conta das doenças sazonais que ocorrem durante o ano no Estado. “Pensamos todos os conteúdos voltados para o que se apresenta no Paraná. Doenças que seguem um curso e tem a sua sazonalidade. Por isso precisamos treinar os técnicos para estarem preparados para o enfrentamento”, diz Daniel.

CONTEÚDOS

Os conteúdos serão disponibilizados no ambiente virtual de aprendizagem Avasus no endereço eletrônico. Além do conteúdo on-line haverá encontros presenciais e atividades de dispersão, e ainda o acompanhamento dos alunos por Tutores.

ATIVIDADES

Entre as atividades propostas fora do ambiente virtual está a dispersão, que é de campo, em que o aluno fará uma supervisão das ações desenvolvidas no controle de vetores.

Uma outra tarefa será o monitoramento dos indicadores epidemiológicos, entomológicos e operacionais do controle de vetores com avaliação do grau de vulnerabilidade para a ocorrência de arboviroses e a elaboração de um relatório.

Os conteúdos do relatório e do parecer da supervisão poderão ser transformados em um plano de contingência para o enfrentamento de epidemia por arboviroses do município.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

MAIS CONFIRMAÇÕES

Guarapuava registra cinco novos casos de covid-19 em 24h

BALANÇO SEMESTRAL

Polícia Ambiental registra aumento de prisões e resgates de animais

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com