22/08/2023
Guarapuava Segurança

Último condenado no ataque a Guarapuava morre em confronto

Guilherme Costa Ambrozio tinha sentença de 71 anos de prisão e estava foragido. Ele tinha armas de grosso calibre, modelos usados no ataque

Último condenado no ataque a Guarapuava morre em confronto (Foto: Reprodução/Pixabay)

O último suspeito de envolvimento no ataque a Guarapuava morreu em confronto com a polícia nesta sexta (5). A Polícia Civil de Guarapuava informou que se trata de Guilherme Costa Ambrozio. A PC de São Paulo divulgou nas redes sociais um vídeo afirmando que Guilherme era um bandido perigoso que era procurando em todo o país por roubos a bancos. E durante a abordagem policial, ele reagiu e morreu em confronto.

De acordo com as informações, Guilherme tinha em casa, armamento pesado de grosso calibre, inclusive de modelos utilizados no assalto à transportadora de valores em Guarapuava. Os policiais também mostraram que o suspeito tinha vários coletes à prova de balas.

A Justiça da 2ª Vara Criminal de Guarapuava condenou sete pessoas pela participação no crime na noite do Domingo de Páscoa em 2022. Ao todo, as penas somam 344 anos de prisão e os envolvidos precisarão pagar R$ 300 mil para o Conselho Municipal de Segurança, para reparação dos danos causados pelos crimes. A condenação também inclui Guilherme Costa Ambrozio com a sentença de 71 anos de prisão, cinco meses e 28 dias de reclusão, mais 1.621 dias-multa. Mas ele estava foragido até o momento.

Além desses processos, outra ação tramita na Justiça contra mais 13 réus que respondem por participação da tentativa de assalto à transportadora.

RELEMBRE O ATAQUE

No Domingo de Páscoa, 17 de abril de 2022, cerca de 30 criminosos fortemente armados atacaram a sede do 16º Batalhão de Polícia Militar com tiros e atearam fogo em veículos na frente do quartel. Ao mesmo tempo, eles tentaram invadir uma empresa de transporte de valores em outro bairro.

Contudo, os criminosos não conseguiram acessar o cofre. Mesmo assim, pessoas se tornaram feitas reféns e os acessos da cidade ficaram fechados. O ataque ocorreu no modelo conhecido como novo cangaço e deixou o Cabo Ricieri Chagas morto. Hoje o 16º Batalhão da Polícia Militar leva o nome do ex-militar.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Vallery Nascimento

Jornalista

Jornalista formada desde 2022 pelo Centro Universitário Internacional - Uninter. Além do amor pela comunicação, ela também é graduada em Letras com habilitação em inglês. Apresenta o Giro RSN de segunda a sexta, às 18h nas redes sociais do Portal RSN.

Relacionadas

A missão da RSN é produzir informações e análises jornalísticas com credibilidade, transparência, qualidade e rapidez, seguindo princípios editoriais de independência, senso crítico, pluralismo e apartidarismo. Além disso, busca contribuir para fortalecer a democracia e conscientizar a cidadania.