Usuários do transporte coletivo sofrem em dias de chuva

Guarapuava – Nos últimos anos o guarapuavano que depende do ônibus coletivo urbano para se deslocar em dias de chuva enfrenta um grave problema.
Os pontos de ônibus não possuem abrigos eficientes. Na primeira gestão do ex-prefeito Vitor Hugo Burko os abrigos que foram construídos anteriormente em alvenaria foram demolidos e substituídos por outros, abertos nos lados.
A substituição aconteceu porque os antigos não ofereciam segurança aos usuários, uma vez que facilitavam a ação de ladrões e até de estupradores. Muitos serviam como abrigo para mendigos.
Os atuais, entretanto, construídos numa das duas gestões do ex-prefeito, deixam os usuários à mercê das chuvas. “Não aguentamos mais, pois chegamos no centro da cidade todos molhados”, disse a aposentada Maria da Luz Ferreira, que mora no Bairro Santa Cruz.
“A gente fica com gripe porque se molha e tem que ficar o dia todo com a roupa encharcada. Quando a chuva é com vento, então, nem se fala”, observa o pedreiro João Antonio Stavinski, morador do Jordão.
“Somos pagadores de impostos e não sabemos para onde vai esse dinheiro, porque a cidade está cada vez pior. Agora estou indo lá na Prefeitura reclamar da taxa do lixo que aumentou de R$ 37,00 para R$ 71,20. Isso é um absurdo”, reclama a dona de casa Vera Lucia Harmuch, moradora do Bairro Santa Cruz.
Na Prefeitura ninguém fala sobre os pontos de ônibus e nem sobre o aumento da taxa da coleta do lixo.

Relacionadas

CONTRA A COVID-19

Começa vacinação contra a covid-19 em Guarapuava

BOLETIM

Após 11 dias de internação, morre 75ª vítima da covid-19 em Guarapuava

MAIS AGILIDADE

Justiça Federal pode zerar fila de perícias médicas em Guarapuava

Comentários