Uma arte milenar em Guarapuava

Vivência floral será nesta quarta feira na Igreja Messiânica

Ikebana (Divulgação)

Uma arte milenar que objetiva o autoconhecimento, através da vivificação floral extraída do ensinamento da natureza será conhecida por membros da Igreja Messiânica de Guarapuava, na noite desta quarta feira (07), a partir das 19h30.

Aliada à terapia com flores, galhos, plantas onde o aprendiz passa a respeitar a natureza e levar esse aprendizado para a sua vida, a técnica é a porta de entrada para aprofundar o conhecimento sobre as ikebanas.

De acordo com  a professora sênior da Academia Sanguets e psicóloga terapeuta flioral, Márica Ferreira Caron, esses arranjos que obedecem princípios específicos da natureza. “Nessa arte milenar a tem a missão de elevar o caráter das pessoas e também embelezar e purificar o ambiente, através do sentimento da pessoa que a vivifica e de levar a felicidade a quem a aprecia”.

Segundo a professora, a ikebana começou como uma prática de adornar templos na Índia, praticada pelos monges budistas. Depois foi para a China e Japão, passando a ser popular. Surgiram então as academias onde são ministradas aulas. No Japão  a Academia Sanguetsu foi fundada em 1972 e veio para o Brasil em setembro de 1975, com o estilo de Mokiti Okada, ou seja a forma de ensinar a confeccionar a ikebana. “Nosso estilo tem como definição arrumar galhos, flores, nos vasos, de forma natural como nascem, respeitando a sua forma original”.

Vivência em Curitiba (Divulgação)

Comentários