Cristina prevê nova área de crescimento com duplicação da 277

Da Redação

Guarapuava – A duplicação da BR 277 deverá abrir uma nova e ampla área de empresas comerciais e industriais, no trecho do viaduto de acesso à cidade de Guarapuava e o trevo de Pinhão, no sentido a Foz do Iguaçu.

Para a deputada estadual Cristina Silvestri, que confirmou as obras inicialmente em dois quilômetros daquela trajeto, esta nova frente de desenvolvimento será favorecida com a construção de vias marginais paralelas às duas pistas, interligadas entre si por três trincheiras, passando por baixo das estradas, e conectadas à cidade.

Cristina Silvestri explica que o entorno desse perímetro duplicado vai oferecer as mesmas condições de mobilidade que o trecho já duplicado da 277, sentido viaduto-Curitiba, onde várias empresas se beneficiam da marginal de um lado da pista. Há condições para o tráfego interno, e acesso rápido tanto para a cidade como para a a rodovia. 

A diferença da nova duplicação é que as marginais ficarão dos dois lados da 277, para quem trafega no sentido Foz ou Curitiba, aumentando as opções para mais empresas.

O cronograma será dividido em etapas, começando agora pela fase inicial, em dois quilômetros.

MOTORISTAS E PEDESTRES

O projeto prevê três trincheiras para a travessia de veículos e pedestres – no segundo trevo secundário, na Rua Pedro Carli; na entrada do aterro sanitário; e na PR-170, que dá acesso ao distrito de Entre Rios e aos municípios da região de Pinhão.

Passando por debaixo da estrada, as trincheiras vão dar segurança total para quem se dirige da cidade às marginais, de carro ou a pé, pois terá um corredor exclusivo para pedestres.

Nesse percurso encontram-se muitas empresas e serviços, incluindo o Distrito Industrial Guaratu, e o Aeroporto Tancredo Tomas de Faria, perto do acesso à PR-170.

Uma das obras de impacto, de alçada da Prefeitura, foi a moderna Avenida Aragão de Mattos Leão, dentro da cidade, numa área possível de crescimento urbano e de novos empreendimentos empresariais, que certamente trará impacto num dos pontos da duplicação.

"É tudo uma questão de tempo. O mais importante é que os investimentos públicos já estão acontecendo, tanto da parte da Prefeitura, quanto do Governo do Estado, agora este, com a nova duplicação", detalha Cristina Silvestri.

As obras na 277 estão orçadas em R$ 77 milhões, um volume de recursos que se equipara apenas aos do Hospital Regional, que está em estágio avançado de construção também em espaço anexo à rodovia federal.

MAIS VÍDEOS

Comentários