Em nota, Crema anuncia restituição de prejuízos aos cofres públicos

Da Redação

Guarapuava – O vereador Rodrigo Crema, de Guarapuava, divulgou Nota de Esclarecimento, nesta quarta (14), onde diz que vai restituir o valor de pouco mais de R$ 2,9 mil exigidos pelo Ministério Público. O vereador do PSB foi denunciado por peculato na ação ofertada pela 7ª Promotoria de Guarapuava. O MP denuncia também o presidente da Câmara, João Carlos Gonçalves, o João do Napoleão, pelo mesmo crime, ou seja, desvio de verbas públicas.

Duas nomeações de assessores, investigadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e concluídas pela Promotoria de Justiça, foram consideradas irregulares pelo MP. Uma das nomeações beneficiou Crema. A servidora, porém, foi nomeada para trabalhar no gabinete de João do Napoleão, que já respondia pela presidência da Mesa, entre janeiro de 2015 e março de 2016, mas foi direcionada para o gabinete de Crema, embora ele já tivesse o número máximo de funcionários permitido pela Casa.  

O outro caso trata-se da nomeação de funcionário comissionado para trabalhar na Diretoria de Gestão Legislativa, ganhando pouco mais de R$ 3 mil por mês. Porém, o servidor atuou como assessor de gabinete do presidente, de janeiro de 2015 a maio de 2016. Com a mudança de função o salário saltou para R$ 7 mil, o equivalente a 57% a mais. Segundo as investigações, esse assessor trabalhou especificamente para João do Napoleão. Os dois assessores foram exonerados logo após a Operação Fantasma II.

Segundo o MP,  nesse caso, os cofres públicos tiveram prejuízo de mais de R$ 84 mil. Já a assessora de Crema, provocou perda de pouco mais R$ 2,9 mil. Esses valores deverão ser restituídos ao Tesouro Municipal. Além disso, as denúncias requerem a condenação dos réus às penas previstas de reclusão de dois a 12 anos, além de multa.

De acordo com Rodrigo Crema, a acusação do MP não se refere, em nenhum momento, a contratação de funcionário fantasma ou qualquer espécie de corrupção. “O Ministério Público acusa-me de, supostamente, ter obtido a assessoria, em meu gabinete, de servidora da presidência da Câmara Municipal, cujo cargo percebia remuneração superior ao cargo de assessor parlamentar. Disse também que embora não concorde com os termos da denúncia, está providenciando a restituição integral do suposto dano, conforme exige a ação.

A NOTA NA ÍNTEGRA

"Foi divulgado pela imprensa que o Ministério Público do Paraná ingressou com uma denúncia contra mim.

De início, é importante destacar que a acusação não se refere, em nenhum momento, a contratação de funcionário fantasma ou qualquer espécie de corrupção. O Ministério Público acusa-me de, supostamente, ter obtido a assessoria, em meu gabinete, de servidora da Presidência da Câmara Municipal, cujo cargo percebia remuneração superior ao cargo de assessor parlamentar.

O suposto prejuízo ao erário, segundo a denúncia do Ministério Público, consistiu na diferença remuneratória de todo o período da suposta assessoria que, somada, chega à importância de R$ 2.990,33 (dois mil, novecentos e noventa reais e trinta e três centavos), corrigidos monetariamente.

De acordo com o Ministério Público, esta assessoria ocorreu entre os meses de janeiro de 2015 a março de 2016, causando o prejuízo de aproximadamente R$ 100,00 (cem reais) mensais.

Embora não concorde com os termos da denúncia, que será devidamente respondida por meus advogados no momento processual oportuno, informo que estou providenciando a restituição integral do suposto dano, em respeito à minha honra, da minha família e, acima de tudo, em respeito aos meus eleitores.

Guarapuava/PR, 14 de junho de 2017.

DR. Rodrigo Crema

Vereador"

MAIS VÍDEOS

Comentários