Bombeiros registram 256 prevenções em um mês de ‘Operação Verão’ em Guarapuava

Sete guarda-vidas permanecem nos pontos de prevenção do Parque do Jordão nos fins de semana

(Foto: Sd Pontarolo/Corpo de Bombeiros)

Nos primeiros 30 dias da Operação Verão, o Corpo de Bombeiros de Guarapuava fez 256 prevenções no Parque do Jordão. Desde 21 de dezembro de 2018,  quando iniciou a operação, sete guarda-vidas (cinco civis e dois militares) permanecem nos pontos de prevenção do parque, às sextas, aos sábados e domingos e também nos feriados.

Um dos coordenadores da Operação Verão, 2º Sgtº Duarte do Corpo de Bombeiros, informou que “durante os dias da semana, de segunda até quinta, dois guarda-vidas militares permanecem no parque, das 8h às 19h. Se houver necessidade é acionado o apoio”, completou. Ainda de acordo com o coordenador, nos finais de semana e feriados, o horário é ampliado até às 20h.

(Foto: Sd Pontarolo/Corpo de Bombeiros)

Segundo a Oficial de Comunicação Social do 12º Grupamento de Bombeiros de Guarapuava, Tenente Silmone Cristina Staciaki, em um mês foram registradas 194 advertências, quando o banhista é avisado para sair de um local com risco de afogamento.

O relatório de atendimento dos primeiros 30 dias também inclui 304 orientações dadas às famílias que chegam ao Parque de Jordão e perguntam por questões de segurança, onde podem ficar. O Corpo de Bombeiros reforça que é importante que os banhistas observem e sigam a orientação das bandeiras sobre segurança.

Em um mês foram feitos três salvamentos, mas sem nenhuma morte. Na temporada passada, nenhuma morte foi registrada durante todo o período da operação no Parque do Jordão. A Operação Verão deste ano vai até 5 de março.

Significado das bandeiras

(Foto: Reprodução)

As bandeiras verde, amarelo e vermelho ficam no Posto de Guarda-Vidas e sinalizam as condições do local. A bandeira verde significa que naquele ponto as condições para banho são boas e o risco de incidentes é mínimo. A bandeira amarela indica que o local possui fatores de risco ao banhista, como ondas mais fortes, correntes e outras condições que podem ocasionar acidentes.

Já a bandeira vermelha sinaliza onde não é adequado para banho, por possuir alto risco de afogamentos. Há também a bandeira preta, colocada em locais onde não há posto de guarda-vidas permanente e indica que aquele local não é indicado para o banho. Por fim, a bandeira duplo vermelha é utilizada em situações de extrema necessidade e significa que o local está interditado devido a fatores de segurança como chuva forte, ressaca, raios, entre outras situações.

Litoral

No litoral do Paraná, nos primeiros 30 dias de operação, o Corpo de Bombeiros registrou 10 mortes por afogamento. Um aumento de 66,67% em relação ao primeiro mês da Operação Verão passada, mesmo com um crescimento de 35,92% nos resgates (de 618 para 840).

(Foto: Soldado André Gonçalves)

De acordo com o comandante do 8º Grupamento de Bombeiros e coordenador das ações dos bombeiros no Litoral nesta temporada, tenente-coronel Gerson Gross, as mortes ocorridas são de pessoas que entraram na água fora do horário de atendimento dos guarda-vidas ou da área protegida por estes profissionais, demarcadas com as bandeiras de perigo e alerta.

“Por isso, é muito importante a população se banhar sempre entre as bandeiras compostas pelas cores vermelho sobre amarelo e próximo aos guarda-vidas”, alerta.

 

Relacionadas

MESA EXECUTIVA

Marcelinho e 'Gilson da Ambulância' formam bloco para a Câmara

RESCALDO

Diretório Municipal do PT agradece votos conquistados em Guarapuava

AVANÇO DA COVID-19

Em 23 dias, casos ativos de covid-19 em Guarapuava aumentaram 220%

Comentários