Cesar Filho se compromete a instituir combate à violência contra mulheres nas escolas

Afirmação do prefeito marca a primeira vitória do movimento Tod@s por Todas, que pretende implantar nas escolas projeto de conscientização sobre violência contra mulheres

O movimento Tod@s por Todas, criado, recentemente, para combater a violência contra a mulher, já tem a sua primeira vitória. Poucas horas depois da matéria sobre o anúncio de uma petição ter sido divulgada pelo Portal RSN, o prefeito Cesar Silvestri Filho (PPS) deu o seu aval ao movimento. O objetivo do grupo era criar um projeto, nos mesmos moldes do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), porém, com a temática sobre violência contra a mulher.

“Me comprometo a encampar a ideia e implementá-la em toda a rede municipal de ensino”, assegurou o prefeito em contato telefônico com esta reportagem, após ter sido provocado pelo Portal RSN, na tarde desta quinta feira (16).

A sugestão de Cesar é criar um programa, assegurado por lei municipal, que seja integrado ao Proerd, já regulamentado, e fazer um trabalho conjunto. O prefeito lembra que o Proerd visa a prevenção da violência, de forma geral, trabalhando com competências sócios-emocionais, nas quais a violência contra a mulher, também está inserida. A adesão do prefeito ao movimento agiliza o trâmite burocrático, proposto com a realização de uma petição, que começou a coletar assinaturas online para propor um projeto de lei de iniciativa popular.

De acordo com o Tod@as por Todas, a petição visa a consolidação de um projeto de ensino para atuar nas escolas e dialogar, com proximidade, diretamente com os futuros adultos da sociedade, que são os potenciais agentes da mudança.

A formatação de um programa integrado com o Proerd, como observa o prefeito, otimiza, não apenas o tempo, mas custos, estrutura, além de questões técnicas como carga horária para a implantação do trabalho.

O posicionamento do prefeito municipal foi informado ao Portal RSN, mas deverá, futuramente, ser debatido com o Movimento. Caberá, agora, ao movimento, se articular para que o programa municipal proposto seja efetivado e comece a funcionar, promovendo, além do combate, a mudança de cultura em relação ao relacionamento homem x mulher, já que o público alvo, no caso das escolas municipais, é o ensino fundamental, mas nada impedindo que se firmem outras parcerias, e se estendam a outros níveis de ensino.

Relacionadas

DESCONTENTAMENTO

Comunidade escolar protesta contra 'achatamento' do Tupy Pinheiro

PRAZO FINAL

Prazo para inscrições em cursos gratuitos de tecnologia termina hoje (23)

CUIDADO COM SAÚDE

Programa para servidores da Unicentro retoma atividades no Campus Irati

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com