Clientes de planos de saúde registraram 4,7 mil queixas sobre pandemia

Entre as queixas, 36% dizem respeito a exames e tratamento da doença e 43% reclamavam de outras assistências afetadas pela pandemia

Dessa maneira, entre as queixas, 36% dizem respeito a exames e tratamento da doença (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Já foram registradas 4.701 queixas relacionadas à pandemia do novo coronavírus pelos clientes de planos de saúde. As queixas foram feitas na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), entre o início de março e o dia 15 de junho. Dessa maneira, o dado faz parte da segunda edição do boletim da Covid-19 divulgado hoje (22).

Entre as queixas recebidas, 36% dizem respeito a exames e tratamentos de doenças. Outros 43% reclamavam de outras assistências afetadas pela pandemia. E, 21%sobre a falta de assistência, contratos ou regulamentos.

Além disso, as reclamações sobre as dificuldades em fazer exames e tratamentos da Covid-19 seguem aumentado desde abril. Apenas nos primeiros 15 dias de junho, foram 452 queixas.

De acordo com a ANS, em janeiro, fevereiro e março, 2020 superou o número de reclamações do ano passado. A maior diferença foi no primeiro mês do ano, quando foram registradas 15.102 ocorrências, contra 9.661 no mesmo período do ano passado.

INTERNAÇÕES

Além disso, o boletim também informa dado sobre as internações de pacientes com Covid-19. Para esses dados, a agência decidiu usar uma mediana em vez de uma média simples. Segundo a agência, “a mudança foi feita por ser a mediana mais adequada quando há dados discrepantes – natural em virtude da grande heterogeneidade do setor –, evitando que valores destoantes interfiram no resultado da análise”.

Assim, o boletim diz que a mediana de dias de internação na UTI por Covid-19 passou de 10,9 dias em abril para 12 dias em maio, o que elevou o custo por internação de R$ 40.477,00 para R$ 48.150,00. Também contribuiu o encarecimento da diária de internação, que subiu de R$ 3.714,00 para R$ 4.013,00.

Nos leitos comuns, a mediana de dias de internação também subiu, de 5,1 para 5,8 dias. O custo por diária aumentou de R$ 1.611,00 para R$ 1.808,00, e o custo total por internação, de R$ 8.133,00 para 10.393,00.

INADIMPLÊNCIA

A agência reguladora também informou no boletim que a inadimplência teve alta no mês de maio. Nos planos familiares, o percentual de clientes que não quitaram o valor contratado subiu de 12% para 15%. Já nos planos coletivos, a média subiu de 6% para 8%. Se considerados os dois grupos, a inadimplência geral foi de 9% para 11%.

*(Com informações da Agência Brasil)

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MOBILIZAÇÃO

Campanha nacional "Fora, Bolsonaro" tem início nesta sexta (10)

DEFINIDO

MEC anuncia novas datas para provas do Enem 2020

COVID-19

Recuperados da covid-19 ainda podem propagar o vírus

Comentários