Com quebra do acordo entre Cuba e Brasil, Guarapuava perderá 16 médicos

Segundo a Secretaria de Saúde, enquanto o município não for notificado, atendimentos seguirão dentro da normalidade

UPA do Batel (Foto: Divulgação)

A saída de Cuba do programa ‘Mais Médicos’, no Brasil, resultará no desligamento de 16 médicos cubanos que, desde 2013, atuavam nas unidades de saúde de Guarapuava. O anúncio da saída foi feito no início da tarde desta quarta feira (14), em comunicado oficial.

“O Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do Programa Mais Médicos e assim comunicou à diretora da Organização Pan-Americana de Saúde [Opas] e aos líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam a iniciativa”, diz a nota do governo.

Apesar de ainda não haver uma data específica para o desligamento dos médicos de Guarapuava – e do restante do Brasil -, lideranças, que já se preocupavam em atrair médicos principalmente ao interior dos Estados, agora terão que se preparar para o impacto, também, da saída destes profissionais.

O Secretário de Saúde de Guarapuava, Celso Góes, informou ao Portal RSN que o município ainda não foi notificado sobre o desligamento dos médicos, mas prevê que isso ocorra nos próximos dias.

SINALIZAÇÃO

Dos 16 médicos cubanos cedidos a Guarapuava, seis já estão fora do município. É que, na semana passada, o governo cubano solicitou as férias destes profissionais. Com o anúncio de hoje, a previsão é que eles não retornem a Guarapuava.

Para diminuir o impacto da saída dos médicos de Guarapuava, que já possui déficit destes profissionais, duas situações em paralelo estão sendo alinhadas.

Pedi a abertura urgente para a realização de um PSS [Processo Seletivo Simplificado] e contratação ainda neste ano de 30 médicos, além de um concurso que deve ser realizado no ano que vem.

Celso Góes, Secretário de Saúde (Foto: arquivo)

Outra situação que está sendo realizada, para incentivar a vinda de médicos ao município, é referente a gratificação destes profissionais.

“Ainda ontem (13) os vereadores aprovaram em primeira votação o projeto de lei que concede 50% de gratificação sobre o salário base dos médicos, que é de R$ 10.450,00. Essa medida está sendo tomada para incentivar a vinda destes profissionais ao município”.

Confira alguns pontos sobre o Programa Mais Médicos e sobre a saída de Cuba do programa

  • Foi criado em julho de 2013 para ampliar o atendimento médico principalmente em regiões mais carentes.
  • Em agosto de 2013, fechado acordo com a Opas para participação de médicos cubanos.
  • De uma só vez, sairão mais de 8.500 médicos cubanos dos locais onde estão hoje trabalhando.
  • Eles estão em 2.885 municípios do país, sendo a maioria nas áreas mais vulneráveis: Norte do país, semiárido nordestino, cidades com baixo IDH, saúde indígena, periferias de grandes centros urbanos.
  • 1.575 municípios só possuem médicos cubanos do Programa, sendo que 80% desses municípios são pequenos (menos de 20 mil habitantes) e localizados em regiões vulneráveis.
  • Existem 300 médicos cubanos atuando nas aldeias indígenas. Isso é 75% dos médicos que atuam na saúde indígena do país.
  • Os locais onde os cubanos atuam foram oferecidos antes a médicos brasileiros, que não aceitaram trabalhar.
  • Sobre a substituição dos cubanos por médicos brasileiros: em 5 anos de Programa, nenhum edital de contratação de médicos brasileiros conseguiu contratar essa quantidade de profissionais. O maior edital contratou 3 mil brasileiros, segundo informações do Ministério da Saúde.

Relacionadas

LUTO

Morre o médico pediatra George Karam por complicações da covid-19

EXPLOSÃO DE LUZ

Centro, bairros e distritos terão iluminação de Natal em Guarapuava

AJUDE ALGUÉM!

Pandemia reflete ativamente na saúde mental da população

Comentários