Equipe de profissionais inovam em partos humanizados

Da Redação

Guarapuava – Quem é mãe sabe o quanto o período da gestação é um momento em que surgem inúmeras dúvidas e exige cuidados específicos. Pensando nisso, Mirian Baitel, que teve duas gestações difíceis, descobriu o seu propósito de vida no acompanhamento de outras mulheres nesta fase única da vida atuando na profissão de doula. “Somos mulheres e faz parte da nossa natureza intuitiva feminina nos apoiar em momentos como este”, explica ela, que já acompanhou partos humanizados e realizou na semana passada um curso de aperfeiçoamento na área no Instituto Gama, em São Paulo.

A doula é uma assistente que acompanha a mulher durante o período da gestação até os primeiros meses após o parto. O acompanhamento é importante, independente da via de parto (normal ou cesária) escolhida. “O trabalho de doula é essencial para a tranquilidade da mãe que se sente apoiada. Nos Estados Unidos, por exemplo, ninguém pergunta para a gestante se ela tem doula ou não, como no Brasil, e sim qual é a sua doula, a profissional que vai acompanhar a mulher em todo o processo de parir o filho”, explica ela.

Ao contrário de existir conflito entre a medicina e a doulagem, o trabalho é de integração. Nestes casos, a doula dá suporte físico e emocional às gestantes, inclusive facilitando o apoio dos médicos que atendem às pacientes, já que estes profissionais geralmente não têm tempo de acompanhar todo o processo durante as horas do trabalho de parto normais ou cesarianas que acontecem nos hospitais.

PARTOS DOMICILIARES

Quem nunca ouviu as histórias das avós que tinham seus filhos todos em casa de forma natural? Hoje com a facilidade de acesso aos exames, isso também é possível se não for uma gravidez de risco e estiver tudo sob controle com a saúde tanto do bebê quanto da mãe.

Guarapuava, a exemplo das maiores cidades do Brasil, também possui uma equipe de partos domiciliares que já atendeu casos na cidade e região com nascimentos humanizados em casa. O grupo é formado pela enfermeira obstétrica Cristiane Küster, que trabalhou durante muitos anos como diretora da maternidade do Hospital São Vicente, a doula Mirian Baitel, a instrutora de pilates Patricia Cordel, uma enfermeira neo natal e uma fotógrafa.

“É uma equipe muito especializada e apaixonada pela arte de parir. O que nós fazemos é preservar a qualidade dos primeiros momentos de vida do bebê e o conforto da mãe. Esta decisão de fazer ou não um parto domiciliar é sempre da família, precisa de segurança e responsabilidade de todos”, explica Cristiane Küster.

CLÍNICA

Para atendimento das gestantes, a equipe está em desenvolvimento da Clínica Nascer, um espaço que será criado para oferecer às mães um acolhimento no pré e pós parto. Atualmente já iniciaram no espaço as Rodas de Gestantes e Casais Grávidos.

O próximo encontro será neste sábado (25), às 14h e terá como tema “A importância da informação na gravidez”, com relatos de partos.  A taxa de participação por gestante é R$ 20,00. As vagas são limitadas.

Para mais informações sobre o trabalho de doula, partos domiciliares e reserva de vagas para a roda de gestantes, os interessados podem entrar em contato pelas redes sociais da Mirian Baitel (Facebook e Instagram) ou pelo telefone (42) 99915-0113.

Relacionadas

GRANDE APREENSÃO

Traficante é preso com 569,4 quilos de maconha na estrada do Guairacá

PROCURA-SE!

A pequena 'Lola' está desaparecida em Guarapuava

VAMOS NOS CUIDAR?

Policlínica Guairacá promove o Outubro Rosa com exames de mamas

Comentários