‘Estrela de Natal’ poderá ser vista esta noite, após 800 anos

Os dois maiores planetas do sistema solar, Júpiter e Saturno, ficarão alinhados e será possível observar a chamada 'Estrela de Natal'

‘Estrela de Natal’ poderá ser vista esta noite, após 800 anos (Imagem: Reprodução)

Está na bíblia: na Noite de Natal, uma estrela apareceu no céu para anunciar o nascimento do menino Jesus. Além disso, a estrela teria guiado os reis magos até Belém, onde Maria e José estavam com o bebê. A ‘Estrela de Natal’ ou ‘Estrela de Belém’ ficou famosa. E em dezembro, ela sempre aparece no topo das árvores enfeitadas. Entretanto, neste 2020 tão diferente, a estrela aparecerá mesmo e poderá ser vista no mundo inteiro.

Isso porque nesta segunda (21) à noite, ocorrerá um fenômeno raro no céu: a conjunção entre Júpiter e Saturno. Os dois maiores planetas do sistema solar ficarão alinhados. Desse modo será possível observar – a olho nu – a chamada ‘Estrela de Natal’ ou a “grande conjunção”. Essa é a maior aproximação visível entre eles desde a Idade Média.

JÚPITER E SATURNO

De acordo com astrônomos, Júpiter e Saturno estiveram tão próximos pela última vez em 1623. O fenômeno mais similar, porém, ocorreu no século 13, há quase 800 anos. A conjunção será visível de quase todos os lugares da Terra, após o pôr do sol. Entretanto, como todo evento astronômico, a visibilidade dependerá das condições climáticas. Devido à luminosidade, pode ser visto sem binóculo ou telescópio.

Conforme Felipe Navarete, pesquisador do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP , devemos olhar na direção do pôr do sol. “Logo depois do pôr do sol, a gente vê um pouco mais acima do horizonte. Fica mais visível num horizonte mais limpo”.

Quem observar o céu conseguirá ver um “disco duplo”, como descrevem os astrônomos. Quem tiver um telescópio, conseguirá ver até mesmo os anéis de Saturno e os cinturões de Júpiter, uma vez que ambos os astros estarão mais próximos da Terra também.

‘Estrela de Natal’ poderá ser novamente vista depois de 800 anos (Imagem: Reprodução/Pinterest)

800 ANOS DEPOIS

Uma conjunção tão próxima entre os astros teria ocorrido em 16 de julho de 1623. De acordo com o astrônomo Patrick Hartigan, da Universidade de Rice (EUA), o ocorrido pode ser mais antigo ainda. Em entrevista à BBC em novembro, ele afirmou que um alinhamento tão próximo pode ter acontecido em 4 de março de 1226.

Conforme o G1, Hartigan explicou à agência britânica que quem perder a “grande junção” entre Júpiter e Saturno terá uma nova oportunidade de assistir a olho nu o balé dos dois astros somente daqui a 60 anos.

Aqueles que preferirem esperar e ver Júpiter e Saturno tão perto e mais acima no céu noturno terão que aguardar até 15 de março de 2080. Depois disso, a dupla não fará aparição semelhante até depois de 2400.

A raridade do fenômeno, segundo os astrônomos, é explicado pelo próprio movimento dos dois planetas, além do da Terra: enquanto o nosso planeta leva um ano para dar uma volta no Sol, Júpiter leva 12 anos e, Saturno, 30 anos.

Assim, após 21 de dezembro, Júpiter e Saturno voltarão a se distanciar e já não será mais possível ver o movimento da Terra.

(*Com informações do G1)

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

POSSÍVEL GREVE

Greve dos caminhoneiros pode ser maior que em 2018

PANDEMIA DA COVID-19

Pazuello anuncia a prefeitos que a vacinação começa quarta que vem (20)

UM POUQUINHO

Cris Wainer abre planejamento do mandato à comunidade

Comentários