Evento aproxima produtores e seguradoras

O Seminário Risco, Desenvolvimento e Seguro Rural, realizado pelo Sindicato Rural de Guarapuava no dia 29 de maio, em parceria com a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), promoveu o intercâmbio de idéias e experiências entre o setor público, seguradoras, instituições financeiras, produtores rurais e empresas especializadas na atividade do seguro agrícola.
Segundo o presidente do Sindicato, Cláudio Marques de Azevedo, a aproximação entre produtores e seguradoras foi extremamente válida, “porque a região de Guarapuava se diferencia das demais, pela produtividade e também pelo caráter dos produtores”.
Durante o evento, o presidente destacou que nos moldes atuais, o seguro não serve nem para o banco, nem para o produtor, constituindo-se como apenas mais uma despesa para o produtor. “Temos consciência que se existisse um seguro agrícola que atendesse a realidade da região e se houvesse uma política de preços mínimos que cobrisse o custo de produção, os problemas dos agricultores estariam resolvidos. Além disso, precisamos que haja uma desburocratização do sistema. Esperamos que este seminário possa contribuir para uma política mais justa para os produtores rurais”, destacou na abertura do evento.
Para o vice-presidente do Sindicato Rural de Guarapuava, Anton Gora, idealizador do evento, o resultado foi bastante positivo porque “os produtores tiveram a oportunidade de conhecer a política de seguro rural e as seguradoras, de conhecer o produtor rural e as peculiaridades da região”.
A grande novidade sobre o assunto foi o anúncio, no seminário, da subvenção estadual para o seguro do trigo. “O governo estadual vai subsidiar o prêmio do seguro do trigo e isto é um fato histórico. A subvenção estadual tornará o seguro muito acessível, inclusive melhor que o Proagro. Sem dúvida, esta foi a grande novidade no seminário”, afirma o coordenador do Departamento Técnico-Econômico da FAEP, Pedro Loyola, acrescentando que o produtor conheceu como funciona o seguro, como é feito o cálculo do risco para cada região e entendeu que “estamos em um momento de construção deste produto que poderá evitar, futuramente, o endividamento dos produtores”.
Os palestrantes do evento foram o coordenador-geral de Seguro Rural do MAPA, Eustáquio Mesquita de Sant’ana, o diretor do DERAL/SEAB, Francisco Simioni, o representante da Fenseg, Joaquim Cesar, o gerente de agronegócios da Seguradora Aliança do Brasil, Carlos Eduardo Carvalho Rodrigues, os assessores de seguros agropecuários da Sancor Seguros (Argentina), Marcelo Girard e Andrés Martino e o coordenador do DTE/FAEP, Pedro Loyola.

Assessoria de Comunicação

Relacionadas

NUTRIÇÃO HUMANA

ONU estabelece 2021 como ano internacional das frutas e vegetais

COLHEITA FARTA

Produtor de cevada comemora colheita, qualidade e preço

CHAMADA PÚBLICA

Aberta chamada pública para agricultura familiar no Paraná

Comentários