Governo estuda construir 141 km de ferrovias na Região de Guarapuava

A ideia do Governo é ligar Guarapuava aos municípios de Goioxim e Prudentópolis. Ao todo, os estudos preveem 1,3 mil quilômetros no Paraná

Governo estuda construir 141 km de ferrovias na Região de Guarapuava (Foto: Jaelson Lucas/ANPr)

O Governo do Paraná está analisando as propostas dos consórcios interessados em elaborar estudos para implantação e readequação da malha ferroviária da Ferroeste, ligando o Oeste do Estado ao Porto de Paranaguá.

De acordo com a secretaria estadual de Infraestrutura e Logística, por meio dos novos consórcios, Guarapuava e munícios da Região poderão receber cerca 141 km de malha ferroviária. Porém, para que isso aconteça, o Governo do Estado criou uma comissão de  estudos de viabilidade técnico-operacional, econômico-financeira, ambiental e jurídica (EVTEA-J).

Conforme o Governo do Estado, os estudos custaram cerca de R$ 20,8 milhões e tem como objetivo levantar informações e definir parâmetros básicos de estruturação de um modelo técnico e operacional do transporte ferroviário no Estado.

Os trechos a serem contemplados pelos estudos estão subdivididos em Ibema/Goioxim (136 km); Goioxim/Guarapuava (67 km); Guarapuava/Prudentópolis (74 km); Prudentópolis/Engenheiro Bley (158 km).

De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a intenção é diminuir as atuais falhas e garantir mais eficiência na movimentação de cargas e maior competitividade no setor produtivo do Estado. “Um dos pilares da economia paranaense é o agronegócio, principalmente por conta da exportação de produtos como soja, milho e trigo, que saem do porto de Paranaguá”.

Além de Guarapuava, os estudos devem compreender trechos de ferrovia entre Maracaju, Guaíra, Cascavel e Paranaguá, além do ramal Cascavel e Foz do Iguaçu, numa extensão total de mais de 1,3 mil quilômetros.

Cesar Filho e empresários em reunião com Infraestrutura e Logística este mês (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

FERROVIAS

Segundo o diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves, “o Paraná está no caminho certo para resolver o gargalo logístico por meio deste projeto. A disputa está sendo muito acirrada, com a participação de consórcios de excelente qualidade e bons acervos técnicos”.

Por fim, o EVTEA-J deve buscar alternativas para possibilitar o melhor traçado considerando o aproveitamento do trecho já em operação entre Cascavel e Guarapuava. Assim, de acordo com Governo do Estado, o gasto será mais de R$ 940 milhões em obras e projetos de infraestrutura no Paraná.

Ferroeste em Guarapuava (Foto: Jaelson Lucas/ANPr)

EDITAL

Todavia, a licitação acontece por meio de Seleção Baseada na Qualidade e Custo (SBQC). Neste modelo as empresas são convidadas a apresentar propostas técnicas e de preço. Todos os documentos e informações sobre esta licitação podem ser acompanhados na página Compras Paraná.

Então, o consórcio será declarado vencedor de acordo com análise combinada de suas propostas técnicas e de preço. Nas propostas de preço o critério é o menor valor oferecido. O prazo previsto para execução dos estudos é de 12 meses, a partir da data de emissão da Ordem de Serviços.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

MERCADO DE TRABALHO

Irati registra aumento de 70% na oferta de vagas de trabalho em 120 dias

CUIDADO COM O GOLPE

Receita do Paraná alerta para tentativa de golpe via e-mail

BAIRRO INOVADOR

'Cidade dos Lagos' atrai a atenção de investidores de várias Regiões

Comentários