Guarapuava está prestes a perder o Estádio Rubem de Melo, do Madeirit

Estádio foi incluído na lista de bens que irão à leilão nesta segunda (22). Porém, diretoria do Grêmio entrou com pedido judicial de usucapião

(Foto: Divulgação/Grêmio Madeirit)

Guarapuava está prestes a perder mais um estádio de futebol. Desta vez, é o estádio Rubem de Melo, ligado à equipe do Madeirit, um dos principais  times do esporte amador da cidade. A equipe é a única do município até agora a conquistar o título de campeã da Taça Paraná, na categoria adulto, em 2004.

De acordo com o presidente do Grêmio Recreativo e Esportivo Madeirit, Pedro Aurelio Gonçalves, embora o estádio pertença ao Grêmio Recreativo e Esportivo Madeirit, há 65 anos, a área está vinculada à massa falida das Indústrias Madeirit. Assim, foi incluída na lista dos bens irão à leilão nesta segunda (22). Porém, foi solicitado judicialmente o usucapião e a retirada do imóvel de 19 mil metros quadrados da lista de bens a serem leiloados.

Conforme os advogados Claudio Manoel Laroca e Gabriel Laroca, a juíza negou a retirada. Mesmo assim, os advogados agravaram ao tribunal de Justiça alegando que a posse do imóvel é anterior à decretação de falência da empresa, em 2009. “O pedido de usucapião continua tramitando, independente se o imóvel for arrematado nesta segunda (22)”.

Com uma dívida de mais de R$ 30 milhões, o leilão servirá para pagar trabalhadores, fornecedores e o governo. De acordo com o edital do leilão, no total são nove lotes, entre imóveis, terrenos, materiais de escritório, maquinários e sucatas, que juntos somam R$ 37.125.407,91 milhões.

Conforme Pedro, durante os 65 anos a posse sempre foi consensual, ininterrupta e nunca contestada por diretores da empresa. “O Grêmio Madeirit é uma associação civil, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira. Portanto, não tem relação com as dívidas contraídas pela executada Indústrias Madeirit e nunca dependeu financeiramente da empresa”.

Jogos atraem torcedores (Foto: Divulgação)

Além disso, o estádio sempre atendeu a demanda da comunidade esportiva de Guarapuava e Região, da Federação Paranaense de Futebol. Liga de Futebol de Guarapuava e outras entidades. Os jogos de futebol atraem centenas de pessoas, como opção de entretenimento e lazer aos guarapuavanos. As pessoas da equipe têm nesse espaço o ponto de encontro entre famílias.

‘RUBEN DE MELO’ PODE SER MAIS UM

Diante disso, a diretoria do Grêmio Madeirit se ressente com o atual cenário que entristece, não apenas a equipe, mas o futebol amador de Guarapuava.

A história do futebol sofre mais uma perda, ficando na possibilidade ser lembrado apenas pela história. Mas não gostaríamos que o nosso espaço tivesse o mesmo destino dos estádios Lobo Solitário (Guarapuava Esporte Clube) e Bororó (Grêmio Esportivo do Oeste).

O Lobo Solitário foi vendido e transformado em loteamento. O Bororó está nas mãos de um grupo de empresários e já foi colocado à venda”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

 

 

 

Relacionadas

CONQUISTA

Estádio Rubem de Melo ficou fora das áreas arrematadas em leilão

UFC

'Marcos Pezão' treina em Guarapuava para encarar volta ao UFC

INCENTIVO AO ESPORTE

Lei estadual concede título de utilidade pública ao CAD Futsal

Comentários