Guarapuava está prestes a perder o Estádio Rubem de Melo, do Madeirit

Estádio foi incluído na lista de bens que irão à leilão nesta segunda (22). Porém, diretoria do Grêmio entrou com pedido judicial de usucapião

(Foto: Divulgação/Grêmio Madeirit)

Guarapuava está prestes a perder mais um estádio de futebol. Desta vez, é o estádio Rubem de Melo, ligado à equipe do Madeirit, um dos principais  times do esporte amador da cidade. A equipe é a única do município até agora a conquistar o título de campeã da Taça Paraná, na categoria adulto, em 2004.

De acordo com o presidente do Grêmio Recreativo e Esportivo Madeirit, Pedro Aurelio Gonçalves, embora o estádio pertença ao Grêmio Recreativo e Esportivo Madeirit, há 65 anos, a área está vinculada à massa falida das Indústrias Madeirit. Assim, foi incluída na lista dos bens irão à leilão nesta segunda (22). Porém, foi solicitado judicialmente o usucapião e a retirada do imóvel de 19 mil metros quadrados da lista de bens a serem leiloados.

Conforme os advogados Claudio Manoel Laroca e Gabriel Laroca, a juíza negou a retirada. Mesmo assim, os advogados agravaram ao tribunal de Justiça alegando que a posse do imóvel é anterior à decretação de falência da empresa, em 2009. “O pedido de usucapião continua tramitando, independente se o imóvel for arrematado nesta segunda (22)”.

Com uma dívida de mais de R$ 30 milhões, o leilão servirá para pagar trabalhadores, fornecedores e o governo. De acordo com o edital do leilão, no total são nove lotes, entre imóveis, terrenos, materiais de escritório, maquinários e sucatas, que juntos somam R$ 37.125.407,91 milhões.

Conforme Pedro, durante os 65 anos a posse sempre foi consensual, ininterrupta e nunca contestada por diretores da empresa. “O Grêmio Madeirit é uma associação civil, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira. Portanto, não tem relação com as dívidas contraídas pela executada Indústrias Madeirit e nunca dependeu financeiramente da empresa”.

Jogos atraem torcedores (Foto: Divulgação)

Além disso, o estádio sempre atendeu a demanda da comunidade esportiva de Guarapuava e Região, da Federação Paranaense de Futebol. Liga de Futebol de Guarapuava e outras entidades. Os jogos de futebol atraem centenas de pessoas, como opção de entretenimento e lazer aos guarapuavanos. As pessoas da equipe têm nesse espaço o ponto de encontro entre famílias.

‘RUBEN DE MELO’ PODE SER MAIS UM

Diante disso, a diretoria do Grêmio Madeirit se ressente com o atual cenário que entristece, não apenas a equipe, mas o futebol amador de Guarapuava.

A história do futebol sofre mais uma perda, ficando na possibilidade ser lembrado apenas pela história. Mas não gostaríamos que o nosso espaço tivesse o mesmo destino dos estádios Lobo Solitário (Guarapuava Esporte Clube) e Bororó (Grêmio Esportivo do Oeste).

O Lobo Solitário foi vendido e transformado em loteamento. O Bororó está nas mãos de um grupo de empresários e já foi colocado à venda”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

 

 

 

Relacionadas

EXPECTATIVA

CAD empata com Bituruna, e busca classificação para a próxima fase

PARANAENSE DE FUTSAL

Diretoria do CAD anuncia a contratação do pivô Negueba

SUPERAÇÃO

CAD vence em Paranaguá e está a um passo da classificação

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com