Guarapuava tem agora o menor coeficiente de mortalidade do país

Guarapuava também se destaca nacionalmente por baixo índice de covid-19, segundo dados consolidados pelo Ministério da Saúde

Guarapuava tem agora o menor coeficiente de mortalidade do país , diz Renê Santos (Foto: Divulgação)

Guarapuava se destaca no cenário nacional com mais um índice alentador. Em meio aos desafios da pandemia mundial da covid-19, o município tem hoje, o melhor coeficiente de mortalidade entre as cidades acima de 100 mil habitantes. Ou seja, o menor número de mortes por 100 mil habitantes. De acordo com  ex-secretário municipal de Saúde e ex-diretor da Sesa no Paraná, Renê Santos, os dados das Secretarias Estaduais de Saúde são consolidados pelo Ministério da Saúde. “Observa-se que Guarapuava tem nesse momento o melhor desempenho entre os municípios brasileiros acima de 100.000 habitantes no que diz respeito ao Coeficiente de Mortalidade (óbitos por 100.000 habitantes)”.

Entretanto, a situação favorável de Guarapuava surge em dose dupla. “Essa situação se repete também em relação ao Coeficiente de Incidência. Ou seja, dos casos confirmados por 100.000 habitantes”

Conforme Renê, Guarapuava, como o Paraná, encontra-se em uma situação de estabilidade. “Ao promover o achatamento da curva de contágio, pode-se dizer que o município está num platô”. Ou seja, a hora em que a pandemia se torna estável. “Isso se refere ao número médio de casos e mortes nas últimas semanas”.

De acordo com o especialista, a causa positiva está na quarentena e nas medidas restritivas. Essa condição faz com que a população fique menos exposta ao vírus. Todavia, segundo Renê, ainda se tem pela frente o desafio de manter esses indicadores.

É fundamental que se mantenham todos os cuidados de distanciamento social e de prevenção. E, e para isso precisamos continuar a identificar os casos, monitorar e cuidar. Ao mesmo tempo precisamos organizar o sistema de saúde para responder a uma série de demandas resultantes da pandemia.

Ele cita como exemplo, as questões relacionadas ao cuidado dos pacientes crônicos e da saúde mental. Além da retomada de serviços de saúde, interrompidos nesse período. São, por exemplo, as cirurgias eletivas e os tratamentos especializados.

DECISÕES ANTECIPADAS

Atuando na saúde pública, nas três esferas de Governo, há mais de 20 anos, Renê avalia os resultados alentadores do município.

Guarapuava está conseguindo fazer o enfrentamento da covid- 19 de forma adequada. Tudo surge como fruto de decisões de gestão, muitas delas inovadoras. Tomadas em momentos estratégicos no início da pandemia e fundamentais para a cidade alcançar esses indicadores.

Assim, numa ‘linha do tempo’, segundo Renê, há uma série de medidas que possibilitaram o achatamento da curva de contágio. “Enquanto, o sistema local de saúde se adequava para o enfrentamento da doença, surgiu a regulamentação do distanciamento social e orientações preventivas”.

Conforme o especialista, a implantação do Call Center, ainda em março se tornou uma das medidas decisivas. Surgiu como plataforma para atender e monitorar os casos suspeitos e confirmados. Assim, associado ao serviço de telemedicina, possibilitou além do cuidado a esses pacientes, um acompanhamento de vigilância epidemiológica. “Medida fundamental para evitar a ampliação do contágio”.

De acordo com Renê Santos, a exigência do uso de máscaras em locais públicos foi uma medida que saiu na frente em relação até mesmo ao Governo Federal.

Guarapuava teve essa determinação (uso de máscaras) antes de qualquer legislações estadual e federal. Isso também se mostrou um diferencial importante no município.

Cabe também ressaltar o funcionamento das Unidades de Saúde e o papel desempenhado pelas equipes da Secretaria. Todas com estrutura adequada e equipamentos de proteção individual. Além da atuação integrada com as ações de vigilância epidemiológica e o Call Center.

COMUNICAÇÃO COM A POPULAÇÃO

Outro ponto fundamental, segundo Renê Santos, refere-se à comunicação com a sociedade. Tanto para orientar medidas de prevenção como para dar transparência à situação epidemiológica. “Desde o primeiro momento a Secretaria Municipal de Saúde manteve a população informada. Quer seja utilizando-se das mídias digitais ou de veículos de comunicação”.

De acordo com Renê, com essas medidas conseguiu-se o tempo necessário para, principalmente, estruturar o atendimento hospitalar no município. Notadamente em relação a oferta de leitos de UTI”.

Quando vemos os atuais indicadores da Covid 19 em Guarapuava precisamos compreender que  são resultado de um conjunto de medidas tomadas pela Secretaria Municipal de Saúde, pela Prefeitura e pelo Governo do Estado. E também da participação da população de Guarapuava que respondeu positivamente nas ações coletivas e individuais.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

AUMENTOU

Guarapuava atinge marca de 1.030 casos confirmados de covid-19

INTERAÇÃO

Campo Real oferece atendimento nutricional gratuito à população

MIRA CERTA

Adolescentes entram para a história do Tiro Olímpico em Guarapuava

Comentários