Mulher publica fake news e é interrogada em Guarapuava

A mulher teria divulgado em redes sociais a morte de um médico de Guarapuava por coronavírus. No interrogatório, ela confessou o crime

Mulher é investigada após publicar fake news sobre o coronavírus em Guarapuava (Foto: Reprodução/Pixabay)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, identificou e interrogou uma mulher em Guarapuava nesta sexta (27). Segundo o Gaeco, a mulher teria postado uma notícia falsa relacionada à epidemia do novo coronavírus em uma rede social.

De acordo com o Gaeco, a mulher teria divulgado que um médico teria morrido em Guarapuava, vítima da Covid-19. No interrogatório, a mulher confessou os fatos e disse estar arrependida. Por fim, ela deve responder no Juizado Especial Criminal de Guarapuava pelo crime de provocar alarme, anunciar desastre ou perigo inexistente. A pena prevista deste crime é a prisão simples de 15 dias a seis meses ou multa.

COVID-19

Ainda nesta sexta (27), a reportagem do Portal RSN desmentiu mais notícia falsa relacionada ao novo coronavírus. O boato era que o paciente de 57 anos internado na UTI do Hospital São Vicente de Paulo, e que atestou positivo para a doença, teria morrido hoje (27).

De acordo com o diretor clínico da unidade de saúde, Eduardo Borges, o paciente permanece internado. “Peço para que as pessoas não acreditem em boatos e em informações repassadas em grupos nas redes sociais. Busquem por informações verdadeiras e corretas apenas. O paciente não morreu”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

INOVAÇÃO

UniGuairacá inova ao ofertar também o vestibular on-line

GUARAPUAVA

Filho bêbado ameaça mãe de 71 anos para entrar com namorada em casa

FAÇA SUA PARTE

Alunos e professores soltam a voz na 'live' Encanta UniGuairacá

Comentários