Nas festas de fim de ano aumentam casos de acidentes com fogos de artifício

Curitiba – As festas de fim de ano costumam tradicionalmente ser comemoradas com muitos fogos de artifícios. No entanto, o espetáculo, apesar de bonito, merece alguns cuidados para que a festa não termine em acidente. Somente este mês, o Hospital do Trabalhador, em Curitiba, recebeu seis pacientes vítimas de acidentes com fogos de artifício, sendo dois submetidos a amputações parciais nas mãos.

“A nossa recomendação é que as pessoas não soltem fogos de artifício e que procurem profissionais para que o façam. Os acidentes provocam traumas não só físicos como psicológicos, portanto, não vale a pena se arriscar”, afirma o médico e diretor técnico do Hospital do Trabalhador, Hermann Valentin Guimarães.

De acordo com ele, no caso de acidente as pessoas devem procurar imediatamente um hospital para que seja feito o atendimento, evitando qualquer tipo de produto no local atingido. “Em um primeiro momento, deve-se lavar o local com água fria ou gelo e enfaixar o local. A pessoa deve procurar imediatamente o serviço de saúde que atenda a pessoas queimadas”, disse.

Número de acidentes

Em 2007, do dia 25 de dezembro ao dia 1º de janeiro o Hospital do Trabalhador atendeu a 15 casos de pessoas queimadas por fogos de artifício. No mesmo período, em 2008, foram 13 acidentes, com três lesões graves, sendo a faixa etária das vítimas de 19 a 25 anos.

O Hospital do Trabalhador fez em 2008 uma campanha com a distribuição de 1.500 cartazes nos ônibus de Curitiba, para conscientização das pessoas quanto à prevenção dos acidentes. A campanha deve ser retomada a partir do próximo ano, para que os números de casos diminuam.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Relacionadas

VACINA CHEGANDO

Regional de Saúde de Irati recebe 920 doses da vacina de Oxford

VACINAÇÃO DA COVID-19

Profissionais da saúde da rede privada já podem se vacinar

COVID-19

Saúde confirma mais duas mortes em Guarapuava

Comentários