Paraná já tem 4,7 mil casos de violência contra crianças e adolescentes

Denúncias revelam que mais de 70% dos casos de abuso e exploração são praticados por pais, mães, padrastos ou outros parentes próximos das vítimas

Paraná já tem 4,7 mil casos de violência contra crianças e adolescentes (Foto: Reprodução/Pixabay)

Esta segunda (18), é marcada pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, no Paraná os números são alarmantes.

Conforme dados do Sistema de Informação de Agravos (Sinam) em 2019, foram 40.551 mil casos notificados. As acusação foi violência interpessoal/autoprovocada. Desses 44,01% (17.863) envolveram crianças e adolescentes.

No que se refere às notificações de violência sexual, os dados no Estado são preocupantes. Dos 4.326 registros, 76,9% (3.329) foram praticados contra crianças e adolescentes. De acordo com o Sinam, neste ano, são 4,7 mil novas denúncias. Elas revelam que mais de 70% dos casos de abuso e exploração são praticados por pais, mães, padrastos ou outros parentes próximos das vítimas.

Também em mais de 70% dos registros, a violência foi cometida na casa do abusador ou da vítima.Por isso, segundo o secretário Beto Preto, os dados demonstram a importância da prevenção e enfrentamento desse problema de saúde pública.

É imprescindível a articulação de ações intersetoriais para proteger este público e responsabilizar os agressores. 

Conforme o secretário, é fundamental mobilizar a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

“Precisamos garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual. É preciso falar sobre o assunto, mobilizar os diferentes setores da sociedade, comover a opinião pública e trazer a tona essa discussão contra a violência sexual de crianças e adolescentes”.

AÇÕES

A Divisão de Atenção à Saúde da Criança e Divisão da Promoção da Cultura da Paz, desenvolve programas e ações que contribuem na formulação e execução de políticas públicas para evitar registros de violência. Assim, conforme a Sesa, o trabalho envolve a promoção da cultura de paz, prevenção de acidentes e violências, vigilância de violências e de atenção às pessoas em situação de violência.

Além disso, envolve orientações, seminários e fóruns em conjunto com as Regionais de Saúde e os municípios. De acordo com a Sesa, é feito também um esforço intersetorial, para garantir os direitos das crianças e dos adolescentes do Paraná.

COVID-19

Devido às medidas de isolamento social pela Covid-19, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), junto a Organização Mundial da Saúde, alertam que as crianças e os adolescentes estão mais expostos a situações de violência física, sexual e psicológica devido ao aumento das tensões domiciliares.

Assim, a Secretaria da Saúde reforça a importância do papel da rede de proteção e dos profissionais de saúde no acolhimento, cuidado e proteção das crianças e dos adolescentes, de forma integral e humanizada.

Veja como avisar a rede de proteção sobre suas suspeitas:

Pelo telefone:
181 (estadual)
100 (nacional)
190 (para emergências)

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Relacionadas

UTILIDADE PÚBLICA

Energisa divulga desligamento programado para Guarapuava

MAIS CONFIRMAÇÕES

Guarapuava registra cinco novos casos de covid-19 em 24h

BALANÇO SEMESTRAL

Polícia Ambiental registra aumento de prisões e resgates de animais

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com