Produção industrial no Paraná tem queda durante a quarentena

O presidente da Fiep aponta que a queda na produção industrial revelada pelos dados do IBGE já era esperada devido às restrições a diversas atividades

Os especialistas avaliaram o mês em comparação com abril de 2019 (Foto: Arquivo/RSN)

A crise econômica se espalhou pelo país e os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com os resultados da produção industrial no Paraná informam uma forte queda em abril. Os especialistas avaliaram o mês em comparação com abril de 2019, e perceberam uma queda de 30,6%. Estados vizinhos também tiveram diminuição da produção, como Santa Catarina -30,8% e Rio Grande do Sul -35,5%. O indicador nacional, no mesmo período, ficou em -27,2%.

Entretanto, quando analisados os número relativos ao acumulado de 2020, de janeiro a abril, a queda é menos brusca. O Paraná teve retração da atividade industrial em 6,2%. O indicador nacional ficou em -8,2%. Os vizinhos do Sul também registram baixas mais acentuadas, Santa Catarina, de -11,8%, e Rio Grande do Sul, -13,2%.

O presidente da Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, aponta que a queda na produção industrial revelada pelos dados do IBGE já era esperada devido às restrições a diversas atividades. “Isso se intensificou durante o mês de abril que paralisou ou reduziu a produção em boa parte das fábricas”.

SEGMENTOS

Quando analisados os quatro primeiros meses de 2020, foi possível perceber que os setores que mais influenciaram no resultado do Paraná, de forma positiva, foram produtos derivados do petróleo, com crescimento de 10,1%; o setor de alimentos cresceu 8,3%; seguido por e papel e celulose, com 6,9%.

Na avaliação das atividades com pior desempenho de janeiro a abril o destaque é para a queda acentuada da produção no segmento automotivo, de -30,6%; máquinas e equipamentos, de -28,5%%; e fabricação de produtos de madeira, -17,1%.

Ao analisar a taxa de crescimento da indústria em geral, a produção de veículos, uma das mais importantes do Estado, foi uma das mais prejudicadas durante a pandemia. Além da suspensão das atividades nas fábricas, o retorno ao trabalho foi mais tardio em comparação com outros setores. Isso influenciou diretamente o resultado negativo no estado.

Dessa maneira, no acumulado do último ano, de maio de 2019 a abril de 2020, o setor industrial ainda opera com resultado positivo, ou seja, crescimento de 1,7%. O Brasil está com indicador em -2,9%, Santa Catarina, -2,6% e Rio Grande do Sul, -3,6%. Assim, é possível perceber que o resultado positivo da produção industrial do Paraná em 2019 influencia em 2020.

DESEMPREGO

Apesar dos dados positivos apresentados pelo IBGE, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) informou que 1.459.099 pessoas foram demitidas, somando assim, um saldo negativo de -860.503, ou seja, mais de 860 mil vagas de empregos fecharam no país. Assim, conforme os dados, confirma-se que este foi o pior desempenho para abril em 29 anos.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Relacionadas

VOLTA AO TRABALHO

Após reuniões sindicais, greve dos Correios acaba oficialmente

COMO ASSIM?

Bolsonaro diz que a Amazônia é 'úmida' e 'só pega fogo pelas bordas'

NO TRÂNSITO

Hoje inicia a Semana Nacional do Trânsito em todo o país

Comentários

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com